Economia

5 de outubro de 2018 10:47

Inflação oficial fica em 0,48% e é a maior para setembro desde 2015

No acumulado em 12 meses, IPCA sobe para 4,53%; combustíveis respondem por metade da inflação no mês

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,48% em setembro, após ter registrado deflação de 0,09% em agosto, segundo divulgou nesta sexta-feira (5) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Este resultado é o maior para um mês de setembro desde 2015, quando o IPCA ficou em 0,54%, e foi puxado pela alta dos preços de transportes e combustíveis.

No acumulado nos 9 primeiros meses do ano, a alta é de 3,34%, acima do 1,78% registrado em igual período de 2017.

No acumulado em 12 meses, o índice ficou em 4,53%, acelerando frente aos 4,19% dos 12 meses imediatamente anteriores. É a primeira vez no ano que o IPCA em 12 meses fica acima do centro da meta do Banco Central, que é de 4,5% para o ano, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

O que mais pesou no mês

A principal pressão no mês de setembro, segundo o IBGE, veio dos preços dos transportes (1,69%), que respondeu sozinho por 0,31 ponto percentual da inflação do mês.

O destaque do grupo foram os combustíveis que saíram da queda de 1,86%, em agosto, para 4,18%, em setembro, e responderam por metade da variação mensal do IPCA.

Segundo o IBGE, a gasolina subiu 3,94% em setembro, o etanol, 5,42%, e o diesel, 6,91%.

De acordo com o gerente da pesquisa, Fernando Gonçalves, o item de maior impacto no mês foi a gasolina, que teve alta de 7% nas refinarias. O aumento, segundo ele, foi influenciado pela alta no preço do barril do petróleo, bem como pelo dólar mais alto.

Fonte: G1

Comentários

MAIS NO TH