Economia

24 de Maio de 2018 12:17

Ceasa reduz abastecimento por conta da greve dos caminhoneiros

Fluxo de entrega dos caminhões de hortifrutigranjeiro diminuiu 50%

↑ Greve dos caminhoneiros autônomos já afeta abastecimento no Ceasa em Maceió. Fotos: Thayanne Magalhães

O Centro de Abastecimento (Ceasa) no bairro Forene, na parte alta de Maceió, já sente os impactos do protesto dos caminhoneiros. Informações dão conta de que com a interrupção do tráfego em todo o país, o fluxo de entrega dos caminhões de hortifrutigranjeiro diminuiu 50%.

Sem os produtos e com a procura dos consumidores, o preço deve aumentar.

O gerente de mercado do Ceasa, Jefferson Vasconcelos, refrisou que o fluxo de entrega dos caminhões de hortifrutigranjeiro caiu 50%. Produtos oriundos do Sul e Sudeste diminuíram, como cebola, batatinha que não estão chegando.

90% dos produtos no Ceasa chegam de caminhão, por isso, ele comentou que se continuar assim, o Centro de Abastecimento ficará desabastecido.

Jefferson Vasconcelos concorda com a paralisação porque diminuindo o valor do combustível, reduz também o preço dos produtos.

POSTOS

A equipe de reportagem do Tribuna Hoje parou em dois postos de combustíveis na parte alta de Maceió, e conversou com gerentes e frentistas, que afirmam não ter sentido o desabastecimento, pelo menos por enquanto. Em um deles, havia inclusive um caminhão-tanque abastecendo.

O preço da gasolina a prazo chega a custar R$ 4,89 9.
 A falta de combustível poderá afetar também a operação dos ônibus.

De acordo com o Sinturb – Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros, a SMTT autorizou na noite desta quarta-feira (23), a redução de frota em 10% fora do horário de pico e se caso a empresa venha precisar. As empresas São Francisco, Real Alagoas, Cidade de Maceió e Veleiro, até amanhã desta quinta (24), não precisaram reduzir.

Fonte: Tribuna Hoje / Thayanne Magalhães / Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH