Economia

22 de novembro de 2017 16:49

Petrobras pode levantar até R$7,5 bilhões com IPO da BR previsto para dezembro

Medida faz parte do plano da empresa para reduzir seu endividamento; estatal ofertará 25% de sua participação de sua subsidiária

↑ Foto: Reprodução

A Petrobras poderá levantar até R$ 7,5 bilhões com a abertura do capital de sua subsidiária de distribuição de combustíveis BR Distribuidora, em dezembro, como parte de seu plano bilionário de venda de ativos para ajudar a reduzir o endividamento da empresa, o maior de uma petroleira no mundo.

Segundo prospecto preliminar publicado pela estatal nesta quarta-feira (22), a oferta pública de distribuição secundária de ações da BR Distribuidora envolverá 291,25 milhões de papéis ordinários da empresa e a estimativa é que o preço por ação estará situado entre R$ 15 e R$ 19.

Na operação, a Petrobras ofertará 25% de sua participação na BR Distribuidora, no IPO (na sigla em inglês para oferta inicial de ações) que deverá ter seu preço fixado em 13 de dezembro, apontou o documento.

A oferta da maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do Brasil pode envolver ainda até 58,25 milhões de ações adicionais, ou 20% dos papéis inicialmente ofertados, além de um lote suplementar de até 43,7 milhões de ações.

Nesse caso, a oferta da petroleira poderá crescer a 33,75% de sua fatia na BR, caso sejam vendidas também as ações adicionais e do lote suplementar.

Considerando o máximo do preço sugerido, a empresa poderia obter até R$ 7,5 bilhões com a oferta, o que representaria o maior IPO no Brasil desde 2013, quando a BB Seguridade movimentou R$ 11,475 bilhões em sua oferta inicial de ações.

Dessa forma, o IPO da subsidiária da Petrobras deve contribuir de forma importante com a meta da companhia de levantar um total de US$ 21 bilhões com venda de ativos no biênio 2017-2018, visando reduzir a sua dívida.

A dívida líquida da Petrobras somou R$ 279,237 milhões ao final do terceiro trimestre deste ano.

Cronograma

O coordenador líder da oferta será o BofA Merrill Lynch, enquanto BB Investimentos, Bradesco BBI, Itaú BBA, J.P. Morgan, Morgan Stanley e Santander também atuarão como coordenadores.

O início do período de reserva da oferta está previsto para 29 de novembro, com encerramento em 12 de dezembro.

Após a fixação do preço por ação, prevista para 13 de dezembro, o registro da oferta pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deverá acontecer no dia seguinte. Com isso, a previsão é que as ações da BR Distribuidora passarão a ser negociadas na bolsa paulista B3 em 15 de dezembro.

A empresa já vinha se preparando para o IPO da BR, um dos que são aguardados pelo mercado ainda para este ano, devido a preocupações com imprevisibilidades em 2018, em meio ao calendário eleitoral.

Em agosto, a Petrobras anunciou aporte de R$ 6,3 bilhões na BR em meio a medidas para limpar o seu balanço e atrair investidores. Dentre as ações, a Petrobras também anunciou uma cisão na BR para separar recebíveis de dívidas da Eletrobras junto à distribuidora de combustíveis.

A Petrobras destacou que a BR teve participação de 30% no mercado de combustíveis nos primeiros nove meses de 2017.

Constituída em 1971, a BR é líder em rede de postos, em atendimento a grandes consumidores e a empresas de aviação.

Em 2016, a empresa foi a segunda maior empresa brasileira em receita bruta, atrás apenas da própria Petrobras.

Em 2017, a receita líquida somou R$ 61,4 bilhões até setembro, segundo o prospecto divulgado nesta quarta-feira.

Fonte: Reuters

Comentários

MAIS NO TH