Economia

10 de novembro de 2016 14:27

Redução do preço da gasolina não chega a postos de combustíveis de Maceió

Nas refinarias, preço da gasolina pode cair 3,1% e o do diesel 10,4%

A Petrobras anunciou na noite da última terça-feira (8) que iria reduzir, nas refinarias, o preço da gasolina em 3,1% e do diesel, em 10,4%. A empresa diz que, se o ajuste for integralmente repassado para os consumidores, o diesel pode cair cerca de R$ 0,20 por litro, e a gasolina, R$ 0,05 por litro. A redução faz parte da política de preços anunciada no mês passado. Mas em Alagoas, a redução ainda não chegou nas bombas dos postos de combustíveis.

A equipe do jornal Tribuna Independente foi em alguns postos de combustíveis de Maceió, localizados na Avenina Menino Marcelo, no bairro da Serraria, na Avenida Fernandes Lima, e Durval de Góes Monteiro e constatou que  o valor cobrado varia entre R$ 3,70 a R$ 3,74, apenas em um dos postos localizados no Sítio São Jorge, o valor cobrado estava um pouco menor R$ 3,68. Segundo a gerente do posto, esse valor não é da redução anunciada pela Petrobras e sim porque  eles pagam antecipadamente ao distribuidor e o preço tem uma queda que a empresa pode repassar ao consumidor.

 A assessoria de comunicação do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Alagoas (Sindicombustíveis-AL), disse que, como o anúncio foi feito ontem, os proprietários ainda vão observar os valores repassados pelas refinarias e distribuidores para depois disso analisar se o reajuste vai chegar até a bomba ressaltando que a decisão do reajuste de preços é exclusivamente dos revendedores.

Em nota, a Petrobras disse que de acordo com a política de preços anunciada por ela no dia 14/10/2016, o Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP) se reuniu na tarde de anteontem (8) e decidiu reduzir o preço do diesel nas refinarias em 10,4% e da gasolina em 3,1%.

A combinação de queda no preço do petróleo e derivados entre o dia 14/10 e 08/11, que chega a 12,1%, e a redução da participação da companhia nas vendas ao mercado interno têm impactos sobre o nível de utilização dos ativos da Petrobras, especialmente no refino, sobre os níveis de estoques e também sobre os fluxos de importação e exportação. Essas variáveis justificaram uma correção maior nos preços do diesel que na gasolina.

Metodologia

A metodologia definida pela Petrobras prevê a revisão dos preços cobrados nas refinarias pelo menos uma vez por mês após análise do comitê formado pelo presidente da companhia, o diretor de Refino e Gás Natural e o diretor Financeiro e de Relação com Investidores.

O objetivo é fazer com que a Petrobras possa implementar uma política de preços competitivos que reflita os movimentos do mercado internacional de petróleo em períodos mais curtos.

Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de petróleo, especialmente distribuidoras e postos de combustíveis. Se o ajuste feito hoje for integralmente repassado, o diesel pode cair 6,6% ou cerca de R$ 0,20 por litro, e a gasolina 1,3% ou R$ 0,05 por litro.”

A assessoria de comunicação do Sindicombustíveis de Alagoas, disse que se realmente houver uma queda nos valores repassados pelos distribuidores aos revendedores é possível que  na próxima semana  alguns postos já estejam com novos valores.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH