Cooperativas

4 de dezembro de 2021 17:46

Cooperativismo amplia produtividade e reduz desigualdades, afirma diretor do BNDES

Bruno Laskowsky participou do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses

↑ (Imagem: Reprodução)

“Investir no cooperativismo é um caminho para melhorar a produtividade da economia e reduzir desigualdades sociais”, afirma Bruno Laskowsky, diretor de Crédito Indireto para Micros, Pequenas e Médias Empresas e Cooperativas do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Durante sua participação no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, na manhã desta sexta-feira (03/12), o executivo ressaltou a “pujança e robustez” do modelo cooperativado do Paraná, lembrando que a parceria do banco com o setor iniciou-se em 2005, com cerca de R$ 20 milhões em financiamentos. “Atualmente, esse número está perto dos R$ 11 bilhões. Vemos com bons olhos a participação do banco neste crescimento e o incentivo ao cooperativismo é uma prioridade que faz parte de nosso plano estratégico. As cooperativas cumprem um papel fundamental também no aumento do acesso ao crédito, na descentralização e desconcentração (do setor financeiro)”, disse.

Laskowsky lembrou do esforço conjunto que vem sendo realizado neste período de pandemia, que trouxe aprendizados já incorporados ao modelo de atuação do banco. “O BNDES respondeu por 25% do crédito concedido no país às micro, pequenas e médias empresas. Cerca de 400 mil empreendimentos tiveram nosso apoio e conseguimos ajudar a preservar 10 milhões de empregos”, afirmou. “A parceria do público com o privado é fundamental para o desenvolvimento do país”, ressaltou.

Sobre o planejamento estratégico do cooperativismo paranaenses, o PRC200, que estima uma demanda de R$ 30 bilhões em investimentos nos próximos anos, Laskowski parabenizou a iniciativa da Ocepar e afirmou que o banco será um parceiro do setor. O executivo explicou de que forma o banco pode contribuir com os propósitos deste planejamento. “Sabemos que o Plano Safra é uma questão fundamental, pois o crédito equalizado está acabando muito rápido. Lançamos nosso produto de crédito rural e ressaltamos que, no que depender do banco, não vão faltar recursos para a agropecuária brasileira. O setor não pode ter seu crescimento limitado por falta de crédito”, enfatizou.

O diretor do BNDES acredita que o Brasil tem vantagens comparativas no segmento de “finanças verdes”. “Alinhando esforços e estratégias, de tal forma que o país exerça o papel fundamental neste novo mundo de transição e renovação da matriz energética, com ênfase na preservação, teremos força neste novo jogo da competitividade internacional”, disse. Laskowsky finalizou reafirmando a confiança na parceria com o setor cooperativista do Paraná e também com o BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul). “As cooperativas fazem a diferença e o que construíram em tão pouco tempo mostra a capacidade e competência do setor. O trabalho em conjunto do BNDES com o cooperativismo é duradouro e o Brasil tem muito a ganhar com esta união”, concluiu.

Fonte: Ocepar

Comentários

MAIS NO TH