Cooperativas

8 de junho de 2021 15:23

AMA e Sebrae preparam soluções para estruturação de empreendedores e setor agrícola

Principal investimento será no setor educacional para revitalização de feiras livres, estruturação da coleta seletiva municipal e um novo formato para as salas do empreendedor

↑ (Foto: AMA)

A partir de cooperação técnica que será assinada nos próximos meses, a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) e o Sebrae preparam soluções para competitividade dos pequenos e médios negócios locais com o programa Cidade Empreendedora. O principal investimento será no setor educacional para revitalização de feiras livres, estruturação da coleta seletiva municipal e um novo formato para as salas do empreendedor. Para o presidente da AMA, Hugo Wanderley, a atuação da sala precisa ser exclusivamente para o microempreendedor individual para “simplificação do processo de legalização das empresas”, disse.

Com cinco eixos fundamentais, o programa Cidade Empreendedora conta com soluções para desburocratização, compras governamentais (para facilidade na compra de pequenos fornecedores e agricultores familiares), atores de desenvolvimento (com a capacitação técnica de lideranças municipais para transformação da comunidade), a readequação da sala do empreendedor e, por fim, a educação empreendedora. O Serviço pontuou os principais desafios dos municípios, como a dificuldade de identificar e mapear a produção agrícola local para manter um cadastro atualizado de produtores.

Wanderley disse que a pauta está sendo discutida com a União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), e irá organizar uma reunião conjunta com as três entidades para discussão de medidas inclusivas. Uma já conhecida pelos gestores que é a compra pública, através da Merenda Escolar. Outra é o projeto piloto de cashback para estimular a compra de produtos da agricultura familiar pela população.

“O momento para discutir os temas pertinentes a eficiência municipal é agora, porque estamos reeditando vários setores aos poucos, principalmente com as mudanças causadas por esses tempos de pandemia. Na questão da coleta seletiva, por exemplo, já colocamos fim em todos os lixões a céu aberto nos municípios, nós precisamos da ajuda do Sebrae para estruturação no processo de sustentabilidade. Será um benefício para ambos os lados”, explica Wanderley.

Em relação a sala do empreendedor, o diretor-superintendente do Sebrae, Marcos Vieira, agradeceu a ideia da Associação para uma nova roupagem para o projeto, que teve mais de 15 mil atendimentos em 2020, nos 62 municípios presentes. “A nossa prioridade é a simplificação dos serviços para o negócio, que pode ser pequeno ou médio, e por isso nós precisamos dessa troca de demandas para criações de ações mais pertinentes. A Sala é o contato direto do Sebrae com cada município. É importante que a gente garanta uma atuação específica e exclusiva para o microempreendedor individual”.

Além do presidente da AMA, a reunião contou com a presença da equipe administrativa do Sebrae: o Diretor Superintendente, Marcos Vieira; o Diretor-Técnico, Vinícius Lages; o Diretor Administrativo Financeiro, Roberval Cabral; e o Gerente da Unidade de Competitividade e Desenvolvimento, Márcio Barcellos.

Fonte: Imprensa AMA

Comentários

MAIS NO TH