Cooperativas

30 de dezembro de 2020 15:15

Semarh finaliza ano com avanços para o desenvolvimento hídrico e sustentável em Alagoas

Ações executadas pela pasta levam benefícios para milhares de pessoas em todo o Estado

↑ Até o final de 2020, 40 mil pessoas de 125 comunidades serão beneficiadas com água de qualidade por meio do Programa Água Doce (Foto: Ascom Semarh/AL)

Com a proximidade do fim do ano, a Secretaria de Estado Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) comemora as ações desenvolvidas pela pasta em prol da população de Alagoas em 2020. Foram mais de 40 mil pessoas beneficiadas pelos programas de acesso à água; principalmente no Sertão e Agreste do estado.

Entre os avanços das obras hídricas, o Programa Água Doce (PAD) ganha destaque nesse quesito. O PAD atua na região do semiárido brasileiro, prioritariamente nas comunidades rurais como estratégia de adaptação às mudanças do clima por reduzir as vulnerabilidades relacionadas ao acesso à água. Altas temperaturas, estiagens prolongadas, inexistência de rios perenes nessa região são os fatores preponderantes que tornam o ambiente propício para a implementação do programa, cujo objetivo é que as famílias residentes nessas comunidades tenham acesso à água de forma contínua e diária.

Por meio de convênios com a União, o estado de Alagoas implantou 125 sistemas de dessalinização através do Programa Água Doce. Até o final de 2020, 40 mil pessoas de 125 comunidades, abrangendo 30 municípios da região do semiárido alagoano, terão acesso à água de excelente qualidade.

Outro programa que vem facilitando a chegada da água na casa de quem mais necessita é o Programa Água para Todos. Por meio do Água Para Todos, a Semarh tem construído os sistemas de abastecimento simplificado, levando água encanada à porta das residências. O programa consiste na perfuração de um poço artesiano e instalação do sistema de dessalinização.

Para enfrentar o problema da seca na região semiárida de Alagoas, por vezes em estado de emergência em alguns períodos, o governo de Alagoas visa atender o máximo possível de localidades com serviços de abastecimento de água.

Dessa forma, a perfuração de poços tubulares profundos em comunidades rurais sem acesso a água encanada, não apenas no semiárido, torna-se essencial. O programa de perfuração de poços é uma alternativa viável do ponto de vista econômico e social, amenizando a situação da falta de água e, ao mesmo tempo, disponibilizando esse serviço para futuras melhorias no atendimento à população.

O programa de Perfuração de Poços já atuou em todas as regiões de Alagoas, ultrapassando os 76 municípios atendidos. Em conjunto com o Programa Água Para Todos, mais de 600 poços foram perfurados, sendo mais de 550 do programa estadual.

Com o aumento da oferta hídrica, as comunidades residentes no Sertão e Agreste têm a possibilidade de fixar-se de forma sustentável no campo, o que reduz o êxodo rural dessa população para os grandes centros urbanos.

O Programa de Recuperação de Nascentes também entra em evidência com as mais de 180 nascentes recuperadas desde 2015, beneficiando mais de 16 mil pessoas. Só em 2020 até o momento, foram recuperadas 24 nascentes.

E é justamente nesse contexto de preservação e acesso à água que o Estado de Alagoas avança. Segundo João Paulo Tavares, Secretário de Estado da Semarh, a pasta atinge seu objetivo para os recursos hídricos e a conscientização ambiental e sustentável com um grande impacto positivo apesar das dificuldades do ano de 2020. “Trabalhamos duro este ano para levar o acesso à água potável e de boa qualidade para as famílias alagoanas que mais precisam, principalmente nesse momento de pandemia da covid-19, onde toda assistência e cuidados são necessários. Além disso, o cuidado também com o meio ambiente é nossa prioridade. Essas são as premissas do Governo de Alagoas e da Semarh.”, ressalta.

O Programa transforma toda a área da nascente em um filtro natural, protegendo-a de qualquer ação que possa comprometer a água, proporcionando melhoria na qualidade dos solos, aumento da vazão de água para os produtores e incorporação de estoque de carbono, contribuindo para a mitigação das mudanças climáticas.

Além de fazer a recuperação das nascentes, os técnicos da Semarh capacitam os moradores das localidades, que podem repetir o processo em outras regiões, atuando como multiplicadores.

Além desses programas, mais de 700 outorgas do uso de água foram entregues aos produtores rurais regularizados em 2020. Essas campanhas passaram por diversas cidades, majoritariamente no Sertão e no Agreste do estado, regiões que necessitam de uma grande demanda de água para irrigação e abastecimento humano, fazendo cadastro de usuários, capacitando sobre o manejo de água e solo, e entregando certificados de outorga aos cidadãos já regularizados. Além disso, os agricultores também garantem assistência técnica disponível, e acesso a créditos rurais para a produção agrícola.

Meio ambiente

Outro setor da pasta que atingiu metas importantes foi o desenvolvimento sustentável. Seguindo políticas públicas, a Semarh prioriza os recursos naturais e leva educação socioambiental para os quatro cantos do Estado.

Com a proposta de reflorestar as matas ciliares, o Programa Planta Alagoas, distribui mais de 15 mil mudas de espécies nativas da região em 2020 por todo o estado. A parceria das instituições para distribuição e plantio das mudas tem trazido, além da recomposição dos ambientes, uma melhoria na qualidade dos solos e do ambiente como um todo, a incorporação de carbono e, através da educação ambiental, a conscientização da importância dessas ações para o meio ambiente e o clima.

Percorrendo todo o estado, técnicos da Semarh, juntamente com a Sala de Alerta, colocaram em prática e levaram uma série de atividades que reforçam da educação ambiental junto às gestões municipais nas escolas.

Outro destaque nesta área é o Monitor de Secas: um processo de acompanhamento regular e periódico da seca no Nordeste do Brasil, cujos resultados são divulgados por meio de um mapa geral.

Mensalmente, informações sobre a situação de secas são disponibilizadas pela Sala de Alerta considerando as condições até o último dia do mês anterior, com indicadores que refletem o curto e o longo prazo, se tornando a principal ferramenta na gestão de recursos hídricos dos municípios da região semiárida de Alagoas.

Outra medida de impacto positivo da Semarh foi à atenção aos resíduos sólidos. Por meio de campanhas para conscientizar a população, houve o monitoramento do descarte de lixo, pneus, entulhos e materiais inservíveis.

Com o encerramento de todos os lixões no estado de Alagoas, foram criadas 14 cooperativas/associações de recicladores/catadores. Hoje estão em funcionamento cinco consórcios e quatro centrais de tratamento de resíduos sólidos. Além disso, por meio da Semarh, são realizadas capacitações, treinamentos de funcionários e catadores das cooperativas e associações.

Fonte: Ascom Semarh/AL / Texto: Márcio Chagas e Virna Pereira

Comentários

MAIS NO TH