Cooperativas

11 de maio de 2020 15:42

Cooperativas de Crédito ampliam participação no Sistema Financeiro Nacional

Sicredi, que faz parte do sistema cooperativo, tem importante contribuição nesse desempenho

↑ (Foto: Reprodução)

O cooperativismo de crédito cresce a cada ano no Brasil. Relatório do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC) referente a 2019, divulgado pelo Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), mostra em números, o avanço das cooperativas no sistema financeiro brasileiro e os benefícios para as comunidades, a exemplo da presença de agências de cooperativas em municípios desassistidos pelas instituições financeiras tradicionais. E o Sicredi, que faz parte do sistema cooperativo, tem importante contribuição nesse desempenho.

De acordo com o relatório do SNCC, em dezembro do ano passado, os depósitos no Sistema Financeiro Nacional (SFN) – excluídos os depósitos interbancários – alcançaram o montante de R$ 2,78 trilhões, aumento de 8,95% sobre 2018. Com o total de R$ 173,09 bilhões, a variação dos depósitos totais do SNCC foi de 14,59% em relação ao ano anterior. Com o montante de R$ 165,49 bilhões em depósitos, a participação do SNCC Negocial – SNCC-N (bancos cooperativos e cooperativas de crédito), no consolidado bancário comercial e financeiras, passou de 5,72% em dezembro de 2018 para 6,04% ao fim de 2019.

Outro dado importante demonstrado no relatório diz respeito às operações de crédito no SFN. Excluídos os repasses interfinanceiros, as operações de crédito totalizaram R$ 3,35 trilhões em dezembro de 2019, aumento de 4,52% em relação ao ano anterior no SFN. No SNCC, o crescimento foi mais acentuado, com alta de 25,87%, totalizando R$ 151,95 bilhões. Houve crescimento na participação do SNCC no SFN, de 3,76% em 2018 para 4,53% em 2019. E a fatia do SNCC-N em relação ao consolidado bancário comercial e financeiras alcançou 5,06% ao fim do último ano, frente a 4,26% no ano anterior.

Para o presidente do Conselho de Administração do FGCoop, João Spenthof, que também preside a Central Sicredi Centro Norte (que abrange os estados de Mato Grosso, Pará, Rondônia e Acre), o crescimento nos depósitos e nas operações de crédito das cooperativas no Sistema Financeiro Nacional é consequência da filosofia do cooperativismo, que pratica taxas e tarifas mais justas, não visa lucro, prioriza o atendimento mais humanizado e distribui os resultados aos associados.

“Há linhas de crédito para todas as necessidades dos associados, inclusive o imobiliário. A liberação do recurso ocorre com mais agilidade uma vez que há uma firme vontade de oferecer crédito a quem precisa, com condições justas. A sociedade está percebendo cada vez mais os benefícios das cooperativas e por isso elas estão ganhando mais mercado”. Spenthof contextualiza os números e cita o desempenho das cooperativas da região Centro Norte, onde o Sicredi registrou crescimento de 20,6% nos depósitos totais, para R$ 7,5 bilhões (com participação de 21,3% no mercado) e expansão de 29,4% na carteira de crédito, que encerrou 2019 em R$ 12 bilhões.

Presença ampliada

Ainda de acordo com o relatório do SNCC, ao fim de 2019, as cooperativas singulares de crédito detinham 6.830 unidades de atendimento em funcionamento (sedes + postos de atendimento), número 10,2% maior que o contabilizado um ano antes, quando eram 6.198 unidades. A expansão, com 632 novos postos de atendimento da rede cooperativa no país, foi registrada em todos os trimestres de 2019, o contrário do que aconteceu com as agências bancárias, que tiveram redução em todos os trimestres. Os quatro maiores bancos do país fecharam, juntos, 871 agências no último ano.

Spenthof comenta que esse movimento regressivo dos bancos está diretamente ligado ao seu objetivo, que é o lucro. Com a queda na taxa de juros, exemplifica o presidente, a rentabilidade das instituições financeiras diminuiu e para compensar isso, os bancos fecharam agências. “Já as cooperativas, que olham para o bem-estar dos seus associados e da comunidade, expandiram sua atuação e as pessoas estão percebendo o grande ganho social e agregação de renda proporcionados pelas cooperativas”, diz ao comentar que na região Centro Norte, o Sicredi abriu 14 novas agências, totalizando 181 nos quatro estados de sua atuação.

Para se ter uma ideia do valor que o cooperativismo de crédito dá às comunidades, o relatório do SNCC aponta que em 2019 um total de 663 cidades do país eram atendidas por cooperativas ou por cooperativas e Posto de Atendimento Avançado (PAA). Deste total, 204 municípios eram atendidos apenas por cooperativas. Na região Centro Norte, o Sicredi é a única instituição financeira presente em 40 cidades, sendo 39 delas em Mato Grosso. “Nossa missão é levar desenvolvimento aos municípios. Oferecemos linhas de crédito do BNDES, do Pronaf, pagamos aposentados e fazemos o dinheiro circular na cidade, fortalecendo o comércio e melhorando o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dessas localidades. Essas agências não representam resultado expressivo, no entanto, são sustentáveis econômica e socialmente”, define Spenthof.

Destaques regionais

Mato Grosso aparece em posição de destaque no relatório do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC). Os dados apontam que no sistema financeiro regional, as cooperativas de crédito, que incluem o Sicredi, têm participação de 24,3% nos depósitos totais em Mato Grosso. Em Rondônia esse percentual é de 22,7%. Nas operações de crédito, também no sistema financeiro regional, as cooperativas têm participação de 21,8% no mercado mato-grossense e de 28,4% no rondoniense.

Na avaliação do presidente do Conselho de Administração da FGCoop e da Central Sicredi Centro Norte, João Spenthof, esse desempenho se deve à força do cooperativismo de crédito nesses estados, onde a sociedade percebeu os benefícios e os diferenciais desse modelo, assim como já ocorre com mais força nos estados da região Sul do Brasil. “Nosso objetivo é fomentar a economia e o desenvolvimento regional. Por isso, emprestar faz parte do nosso DNA”.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH