Cooperativas

22 de dezembro de 2019 09:00

Missão técnica da OCB/AL apresenta a coops agricultura familiar e agroecologia da PB

Coopeagre e Casf-Chã estiveram em duas cooperativas da Paraíba para realizar um intercâmbio cooperativista

↑ (Foto: Ascom Sistema OCB/AL)

Ideias, conhecimento, aprendizado, informações e intercooperação. Assim foi a missão técnica a cooperativas do ramo agropecuário na Paraíba. A Cooperativa dos Produtores Agrícolas do Agreste (Coopeagre) e a Cooperativa Agropecuária São Félix-Chã (Casf-Chã) integraram a equipe da visita.

Durante dois dias os participantes puderam conhecer o trabalho de duas cooperativas indicadas pelo Sistema OCB/PB: a Cooperativa dos Produtores Rurais da Agricultura Familiar do Litoral Sul Paraibano (Coopasa), zona rural da cidade de Pitimbu (57 km de João Pessoa), e a Cooperativa Agroecológica Mista da Várzea (Comase), localizada entre os municípios de Sapé e Cruz do Espírito Santo (40 km da capital).

Visita à Coopasa

No primeiro dia da missão, o grupo, que também foi integrado por representantes do Sistema OCB Alagoas, visitou a Coopasa. O presidente Alysson Nunes fez uma apresentação geral sobre a cooperativa, depois levou a equipe para conhecer propriedades de cooperados, que ficam no assentamento Apasa.

A Coopasa tem um ano de existência como cooperativa e está com 36 cooperados. Todos eles são assentados e cada um tem 5,5 hectares de terra. Durante a visita os participantes puderam ver plantações agroecológicas de frutas, hortaliças e raízes. Toda produção é vendida para feiras da região e de João Pessoa.

A visita à Coopasa rendeu muitas informações úteis e troca de dicas também. Os cooperados alagoanos ficaram por dentro de toda produção: desde o plantio, passando pelo manejo, até o escoamento.

“Nossas rotinas são semelhantes, mas identifiquei algumas diferenças no manejo, por exemplo. Aprendi e ensinei. Isso é muito bom. A gente percebe que também evoluiu”, falou o cooperado da Coopeagre, Roberto da Silva.

“A visita da OCB Alagoas e de cooperados foi muito especial para gente. Tivemos o maior prazer de mostrar o nosso trabalho, mas também foi importante o aprendizado. O projeto Roça Cooperativa, que ajuda no escoamento da produção, é um exemplo. Queremos conhecer de perto”, disse o presidente da Coopasa.

Visita à Comase

No segundo dia o destino da missão técnica foi a Zona da Mata paraibana, onde está situada a Comase. O grupo foi recebido pelo presidente Clayrton Freitas e equipe, que fizeram uma apresentação sobre o funcionamento da cooperativa.

A Comase tem 20 anos e hoje conta com a participação de 158 cooperados (103 ativos), que também são assentados. As terras dos cooperados ficam no assentamento Dona Helena. Os agricultores da cooperativa cultivam frutas, hortaliças e raízes. Os principais produtos são macaxeira e batata-doce.

A cooperativa está no período de transição para produção agroecológica e já conquistou 29 certificados por meio do projeto Eco Várzea. As vendas ocorrem em feiras do Estado e também para instituições como o Exército. Além disso, é contemplada pelos Programas: de Aquisição de Alimentos (PAA) e Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), ambos do Governo Federal.

“Esse intercâmbio nos contextualiza. Vimos que as realidades e dificuldades são semelhantes. Essa troca de ideias é muito válida. Ao mesmo tempo que estamos ajudando as cooperativas alagoanas, elas também estão nos ajudando e queremos aprender ainda mais com Alagoas”, disse o técnico agropecuário da Comase, José Talisson.

A visita também rendeu aos cooperados de Alagoas informações preciosas. Um dos pontos que chamou atenção foi a forma de irrigação. “Água é um problema geral, mas gostei do que vi na Comase: a forma de captar a água. As boas ideias serão levadas para Alagoas e espero ter contribuído com as cooperativas paraibanas também”, afirmou Ana Maria Cavalcante, conselheira da Casf-Chã.

Frutos colhidos

Foram dois dias intensos onde os alagoanos conheceram detalhes da agricultura familiar paraibana. Produtores rurais como Maria Helena, Antônio, Dal, Severino, Elias e José são exemplos da força do Nordeste. Mesmo diante de dificuldades financeiras e climáticas, trabalham de sol a sol para produzir. Um esforço diário, não diferente dos cooperados alagoanos, que também se esforçam bastante.

“Essa troca de experiências foi incrível. Também absorvemos muito conhecimento com essa visita. Em 2020 planejamos uma missão a Alagoas para conhecer o trabalho de cooperativas alagoanas e, principalmente, o funcionamento do projeto Roça Cooperativa”, disse o presidente da Comase.

Semelhanças e algumas diferenças, mas em comum entre as cooperativas alagoanas e paraibanas a vontade de crescer e de oferecer produtos de qualidade. A consciência de que a agroecologia é melhor para todos foi despertada. É a união por meio do cooperativismo em busca de um mundo mais saudável.

“A nossa última missão técnica do ano foi um sucesso. Concluímos os trabalhos da melhor maneira possível, praticando a intercooperação e mostrando aos cooperados os melhores caminhos. Temos que incentivar a agroecologia em busca de um mundo mais saudável”, concluiu o presidente do Sistema OCB Alagoas, Marcos Rocha.

Fonte: Ascom Sistema OCB/AL

Comentários

MAIS NO TH