Cooperativas

21 de outubro de 2019 16:43

Sistema cooperativo libera mais de R$ 17 milhões para compra de placas solares

Cooperativas integrantes do Ailos oferecem aos seus cooperados uma linha de crédito especial para aquisição de diversos equipamentos e sistemas

↑ (Foto: Reprodução)

Cooperativas integrantes do Ailos oferecem aos seus cooperados uma linha de crédito especial para aquisição de diversos equipamentos e sistemas, como lâmpadas de LED, geradores e microgeradores de energia eólica. O destaque está para as placas fotovoltaicas, responsáveis pela captação e geração de energia através da luz solar.

Desde a sua implantação em dezembro de 2018 até agosto deste ano, a carteira desta linha cresceu 627,01%, atingindo o valor acumulado de R$ 17 milhões. Segundo a gerente de produtos de crédito da Central Ailos, Zenilde Lourenço Osório, “esta tecnologia tem importante papel para o desenvolvimento da comunidade. Além das oportunidades e facilidades de financiamento pelas cooperativas através de linhas sociais, a geração de energia por meio da luz do sol garante maior sustentabilidade e preservação ambiental. Queremos fomentar o uso das placas, para que cheguem ao máximo de pessoas possível”.

O cuidado socioambiental do Ailos se estende à construção da nova sede da central, na qual cerca de 40% do telhado será composto por placas para a geração de energia solar. A expectativa é a de que 25% do consumo seja feito por meio do efeito fotovoltaico.

Sustentabilidade em todas as áreas

Além das placas, a nova sede da central Ailos contará com aproveitamento da água das chuvas para utilização nos sanitários, torneiras de jardim e hidrantes.

E a organização não pensou duas vezes em tomar uma atitude inusitada para salvar a vida de sete palmeiras, algumas com mais de 50 anos de idade. As árvores seriam derrubadas por conta de um projeto de mobilidade da cidade, mas a diretoria da cooperativa resolveu replantá-las, preservando-as. No processo, foi necessário a colocação de extensores de sustentação, que devem permanecer por pelo menos nove meses para que as árvores possam se apoiar sozinhas.

“Queremos proporcionar um ambiente acolhedor e aconchegante para todos os colaboradores. E isso passa por aplicarmos, em cada ação, os valores cooperativistas”, diz Gisele Andrade Pavesi, coordenadora de compras e administrativo da Central.

Hoje, os mais de 560 colaboradores estão divididos em dois prédios. A nova sede está sendo construída no local que abrigava a malharia Lancaster, no bairro Velha, em Blumenau (SC) e vai unificar os espaços dos times. A previsão é de que a mudança ocorra ainda em 2019.

Fonte: Easycoop

Comentários

MAIS NO TH