Cooperativas

10 de julho de 2018 09:32

Referência de luta pela igualdade racial, coluna Axé é destaque semanal

Espaço informativo no jornal Tribuna Independente rende visibilidade aos movimentos pela igualdade de raças

↑ Jornalista Valdice Gomes, uma das idealizadoras da coluna Axé, publicada semanalmente no jornal Tribuna Independente (Foto: Sandro Lima)

Meses depois da criação da Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos do Estado de Alagoas (Jorgraf), surgia um espaço semanal no jornal Tribuna Independente: a coluna Axé. De lá para cá são pouco mais de dez anos de existência da coluna, que tem ganhado destaque e importância pela luta racial no Estado.

Uma das idealizadoras da coluna, a jornalista e ativista do Movimento Negro em Alagoas, Valdice Gomes, explica que o objetivo do espaço inicialmente era colocar em pauta temas de interesse da luta pela igualdade racial. Mas segundo ela, haviam desafios, principalmente o de manter os assuntos em discussão.

“No início até pensávamos se iríamos conseguir assunto suficiente, mas percebemos que o assunto tem durado, já dura mais de dez anos”, pontua a jornalista.

Além disso, a coluna visava promover os temas debatidos e ações da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial em Alagoas (Cojira-AL).  A Cojira Alagoas é uma comissão do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Alagoas (Sindjornal), criada em 2007. Já a coluna foi criada em 2008 como forma de oficializar as ações da comissão.

“De certa forma a coluna vem acompanhando a história da Tribuna, foi um espaço que recebemos. O jornalismo tem principalmente essa função social e tivemos esse reconhecimento.

Nós criamos a coluna porque historicamente no Brasil, os veículos de comunicação, infelizmente, acabam reproduzindo um racismo e nós do Movimento Negro sentíamos essa necessidade de um instrumento que desse visibilidade às ações do movimento, as informações e notícias que dizem respeito à questão racial que não chegavam nos veículos. Porque os veículos geralmente não têm muito interesse em divulgar esse tipo de notícia, tudo que seja de interesse da população negra, não só atividades do movimento, mas gestão pública, cultural, religiosidade afro…”, diz a jornalista.

Segundo Valdice, a coluna Axé é a única coluna publicada em jornal impresso no país que debate a questão racial.  “Em sites têm vários, mas coluna, em Impresso, acreditamos que seja realmente a única”, destaca.

Axé deu voz a um segmento social  que era invisível

 

A ativista acrescenta que além do caráter pioneiro e inovador a coluna tem a visão de luta social.

“Quando a coluna Axé cede esse espaço ela acaba dando voz a um segmento que sempre viveu na invisibilidade, por isso ela é tão importante. A gente sente que os veículos de comunicação podem dar essa contribuição à sociedade de combate ao racismo, a partir do momento que fazem esse papel”, aponta.

Para Valdice, os dez anos serviram como aprendizado e o desejo a partir de agora é ampliar as estratégias.

“Acho que estamos no caminho certo, embora a gente precise de mais espaço. Nosso desejo é ampliar, se aprofundar um pouco mais. É um sonho nosso, apesar de fazermos trabalho voluntário, que tenhamos programas de rádio falando sobre isso, programas de TV, que tenhamos mais espaço, porque a população negra constitui metade da população, é um público que consome, é um público que tem demandas e precisamos atender essas demandas”, avalia.

Presente nos dez anos da coluna, como idealizadora, a partir deste ano Valdice assume outro papel: ela substituirá a jornalista Helciane Angélica como editora do espaço.

“Depois de passar dez anos dando essa grande contribuição como editora da coluna, era ela quem essa tinha responsabilidade. Agora, eu estou nessa missão. Tendo a contribuição dos colegas. Hoje a gente já tem esse vínculo com o próprio movimento, que já sabe que tem a Cojira, que tem a Coluna Axé”, conclui.

TRAJETÓRIA

A jornalista e militante Helciane Angélica, foi durante uma década, a editora da Coluna Axé. Ela relembra que quando assumiu a função, era recém-formada.

Jornalista Helciane Angélica, editora da Coluna Axé por dez anos conta sobre criação do espaço (Foto: Acervo pessoal)

“A coluna Axé foi uma iniciativa da Cojira. A Cojira foi criada em 2007 e a coluna foi importante para oficializar a criação e as ações da Cojira, dar visibilidade ao movimento social negro e as políticas públicas e ações afirmativas. Então tornou-se uma ferramenta de trabalho importante da Cojira.

Desde o princípio foi um espaço cedido da Tribuna, onde a gente não tinha custo nenhum pelo espaço, nem patrocinador.

Na época a  Cojira tinha apenas quatro membros. Eu era recém-formada e fui indicada pelos membros para ser a editora da coluna”, relembra Helciane.

Segundo a jornalista, as contribuições da coluna aconteceram tanto no nível social, coletivamente, quanto no nível pessoal, para sua atuação profissional.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH