Cooperativas

10 de julho de 2018 10:01

Jornal impresso continua sendo o guardião da História

Proprietários de bancas de revista falam que Tribuna possui leitores fiéis, que compram periódico diariamente

↑ Roberto Nunes diz que leitores da Tribuna Independente não deixam de adquirir diariamente seu exemplar (Foto: Sandro Lima)

Em tempos de informação imediata recebida através de vários dispositivos ligados à internet, o jornal impresso continua sendo o guardião da História, com seu público ainda fiel, que prefere o papel, o cheiro das páginas escritas e ilustradas com tinta, às telas do computador, tablets ou celulares. Nos 11 anos da Tribuna Independente, o segundo jornal impresso mais vendido de Alagoas, proprietários de bancas de revista destacaram a notícia impressa em papel como sendo um dos seus principais produtos.

“Aqui na minha banca os leitores da Tribuna Independente são fiéis. Todos os dias eles compram um exemplar. Geralmente são pessoas mais velhas. Os jovens estão ligados nas redes sociais e o hábito de ler jornal está sendo deixado de lado. Mas eu acredito que o jornal impresso ainda tenha força e continue no mercado. É nele que encontramos as notícias que muitas vezes não estão mais na internet. É no impresso que a História é contada”, disse Roberto Nunes, que há 12 anos é proprietário da Banca Colegial, localizada na Praça Centenário, no bairro do Farol, em Maceió.

Roberto Nunes destaca que sua banca resiste graças a um colégio que funciona perto do seu estabelecimento. “O jornal e a revista não são mais o nosso principal produto. Mas os leitores da Tribuna Independente não deixam de comprar diariamente o seu exemplar”.

Cátia Suzana começou a vender Tribuna Independente desde seu início (Foto: Sandro Lima)

Há 22 anos como proprietária da banca Ponta Verde, na orla de Maceió, Cátia Suzana começou a vender a Tribuna desde que se tornou a Cooperativa dos Jornalistas e Gráficos do Estado de Alagoas (Jorgraf). “A Tribuna Independente está na minha banca desde o início. É um jornal que tem seu público. Todos os dias os leitores vêm aqui para comprar o exemplar”, afirmou.

O jornaleiro mais antigo de Maceió, Seu Genivan Rodrigues Gouveia, de 70 anos, ficou conhecido pelo pioneirismo com a Banca Nacional, uma das mais tradicionais de Maceió, localizada na Praça Montepio, no Centro da capital. Ele, que atua há 55 na profissão, não escondeu a alegria ao recordar com orgulho da inauguração da Tribuna. Ele relembrou como foi difícil para os ‘tribuneiros’, e ainda é, manter um jornal impresso diário.

Seu Genivan destaca que gosta muito dos artigos escritos na página 4 de todos os dias, além do Caderno D&A – Diversão & Arte. “Em tempo de escassez onde se especula que o jornal impresso pode acabar a circulação é considerada estável aqui na banca”, frisou.

Para o jornaleiro, as edições de domingo são importantes e se destacam quando comparados aos outros jornais impressos. Seu Genivan disse também que tem leitores fiéis e que aparecem todos os dias em sua banca em busca da Tribuna.

“As pessoas gostam e chegam procurando, é um jornal consistente que ganha pela credibilidade. Ler jornal é o mesmo que mergulhar nas letras em busca de um autor para conversar”, declarou.

Na opinião de Seu Genivan, quem ler jornal impresso tem o intelecto maior e um alto poder de análise critica sobre qualquer assunto, diferente da notícia da internet. Foi com tristeza que ele se lembrou da existência de apenas dois jornais diários em Alagoas, que classificou como um pastoril: azul e encarnado.

O desejo de seu Genivan é que a Jorgraf cresça ainda mais, sempre séria e respeitando o seu principal público: o leitor diário.

Em Maceió a Tribuna Independente pode ser encontrada em 74 bancas espalhadas pela cidade. No interior do estado são 23 bancas que recebem o jornal impresso diariamente. O diário chega a assinantes de 41 cidades de Alagoas.

Fonte: Tribuna Independente / Thayanne Magalhães

Comentários

MAIS NO TH