Cooperativas

4 de janeiro de 2018 15:02

Tribunal de Justiça encaminha 5,8 toneladas de lixo para reciclagem em 2017

Materiais foram encaminhados à Cooperativa de Recicladores de Lixo Urbano de Maceió (Cooplum)

↑ Funcionário da limpeza ajuda na coleta seletiva do Tribunal de Justiça (Foto: Dicom do Tribunal de Justiça de Alagoas)

Em 2017, o Tribunal de Justiça de Alagoas encaminhou 5,8 toneladas de material reciclável para a Cooperativa de Recicladores de Lixo Urbano de Maceió (Cooplum), que funciona no bairro Jacarecica. Desde que o projeto foi implantado, em junho de 2016, foram entregues ao todo 10,8 toneladas de lixo.

Além de contribuir com a preservação do meio ambiente, o TJ/AL ajuda na complementação de renda das 22 famílias associadas à cooperativa. As 5,8 toneladas de 2017 abrangeram a coleta interna, feita pela equipe de limpeza do Tribunal, e a externa, realizada com apoio de servidores que trouxeram de suas casas materiais recicláveis como papelão, revistas e jornais, embalagens Tetra Pak, vidros, alumínio e ferro.

A coleta seletiva funciona, por enquanto, apenas na sede do Tribunal de Justiça, mas deve ser estendida ao Fórum da Capital, Corregedoria e Escola da Magistratura (Esmal). Os trabalhos são coordenados pelo Núcleo Socioambiental do TJ/AL, subordinado à Assessoria de Planejamento e Modernização do Poder Judiciário de Alagoas (APMP), com acompanhamento da Comissão de Meio Ambiente do Tribunal.

Redução no consumo de papel e copo plástico

Segundo dados da Divisão de Almoxarifado, do Departamento Central de Material e Patrimônio do TJ/AL, em 2017 houve a redução de 10,8% no consumo de papel A4 e de 34,24% no consumo de copos plásticos, em relação ao exercício de 2016. Para obter esse resultado e atender ao Programa TJ Eco Consciente e Solidário, o setor aumentou o controle sobre o atendimento das solicitações e adotou medidas para estimular a economia e a consciência ambiental, como a substituição dos copos descartáveis por canecas, por exemplo.

Comentários

MAIS NO TH