Cooperativas

30 de dezembro de 2017 08:00

Governador lança PAA estadual em Santana do Mundaú

Evento acontecerá às 10h deste sábado, no ginásio de esporte do município

↑ PAA Estadual vai beneficiar 1.875 agricultores de 78 municípios alagoanos, em todas as regiões do Estado, organizados por meio de associações e cooperativas (Foto: Ascom Seagri)

Com investimentos de R$ 15 milhões, provenientes do Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep), o governador de Alagoas, Renan Filho, acompanhado do secretário Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Antônio Santiago, e do presidente da Emater, Elizeu Rego, lança, neste sábado (30), no município de Santana do Mundaú, o Programa de Aquisição de Alimentos Estadual (PAA).

Solenidade está prevista para as 10h, no ginásio de esportes municipal, com a participação do prefeito Arthur Freitas, lideranças locais, produtores rurais e representantes de cooperativas e associações comunitárias.

A PAA Alagoas (compra com doação simultânea) vai beneficiar 1.875 agricultores em 78 municípios alagoanos em todo o Estado, organizados por meio de associações e cooperativas, que poderão vender sua produção a preço justo. Além disso, aproximadamente, 25 mil famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional, receberão os produtos por meio de instituições integrantes da rede socioassistencial.

Entre os produtos já comercializados este ano, por meio do PAA estadual, junto aos pequenos produtores familiares estão batata-doce, abóbora, laranja, banana, abacaxi, inhame, macaxeira, entre outros.

Como explica o diretor-presidente da Emater, Elizeu Rêgo, Alagoas é a primeira unidade da Federação a criar o PAA Estadual e aportar recursos para executá-lo. Segundo ele, desde 2016, o governo federal vem reduzindo drasticamente o repasse de recursos do PAA federal, que caiu de R$ 25 milhões para apenas R$ 5,2 milhões em 2017.

O PAA estadual vai abastecer hospitais, restaurantes populares e o sistema prisional alagoano, beneficiando diretamente pequenos agricultores, com a compra de sua produção por preço justo, e, por outro, alimentando famílias com carência alimentar.

Comentários

MAIS NO TH