Cooperativas

11 de julho de 2017 08:03

Jorgraf leva quatro troféus em prêmio de jornalismo científico

Premiação reconheceu trabalho dos jornalistas Evellyn Pimentel, Lucas França, Billo, Adailson Calheiros e Rívison Batista

O jornal Tribuna Independente e o portal Tribuna Hoje, veículos da Cooperativa de Jornalistas e Gráficos de Alagoas (Jorgraf), foram destaque na primeira edição do Prêmio José Marques de Melo de Jornalismo em Ciência, Tecnologia e Inovação de Alagoas, realizado na noite de sábado (8) na casa de eventos Pierre Chalita, em Jaraguá. Quatro trabalhos foram premiados.

Na categoria Jornalismo Impresso/Texto os jornalistas Evellyn Pimentel e Lucas França conquistaram a terceira colocação com a reportagem “Aplicativo promove acesso à cultura para deficientes visuais”, publicada no jornal Tribuna Independente na edição dos dias 27 e 28 de maio de 2017.

Já na categoria Jornalismo Impresso/Imagem, o jornal Tribuna Independente conquistou duas premiações: Marcus Vinícius Luna, o Billo, conquistou a segunda colocação com o trabalho “O fim das trevas”, publicada no dia 23 de maio deste ano, e o repórter fotográfico Adailson Calheiros, a terceira, com a foto “Faça-se a luz: Alagoas, o novo oásis da energia solar”, publicada edição dos dias 6 e 7 de maio de 2017.

Na categoria Webjornalismo, os jornalistas Rívison Batista e Lucas França, do Tribuna Hoje, conquistaram a segunda colocação com a reportagem “Farmácia Viva: Ufal e sabedoria popular unem-se em prol da saúde da população”, veiculada no portal no dia 12 de maio do corrente ano.

INÉDITOS

A premiação de sábado foi o primeiro reconhecimento para vários jornalistas da Jorgraf. Vencedores do terceiro lugar na categoria Jornal Impresso/Texto, Evellyn Pimentel e Lucas França receberam pela primeira vez um troféu pelo trabalho jornalístico.

Evellyn destaca que o prêmio veio apenas seis meses depois dela iniciar trabalho em redação. “A sensação é muito boa e principalmente, me traz a certeza de que os desafios diários valem a pena. O que mais importa é dar continuidade e evoluir, procurar me aperfeiçoar ainda mais”, afirmou.

Emocionado com a premiação dupla, Lucas pontuou que foram seus primeiros troféus na recente carreira de jornalista. Ele, que trabalha há pouco menos de um ano com texto, frisou a importância da conquista.

“Ter esse reconhecimento é muito importante principalmente para um ‘iniciante’ em texto. Eu estou extremamente feliz com a conquista. O mais importante não é o prêmio em si, e sim mostrar que a reportagem surtiu algum efeito direta ou indiretamente para nossos leitores. Receber esse prêmio mostra que estou no caminho certo e que devo continuar lutando para abordar assuntos que, de início podem não ser fortes, mas com apuração e personagens certos podem render uma boa história. Ganhar em Impresso/Texto particularmente foi incrível porque eu não esperava. Fui convidado por Evellyn a produzir o material com ela e fizemos faltando poucos dias para encerrar as inscrições”, disse Lucas França.

O chargista do jornal Tribuna Independente, Marcus Vinícius Luna, mais conhecido como Billo, falou que foi a primeira vez que ele inscreveu suas charges para um prêmio de jornalismo. Ele costuma participar mais de salões de humor, nos quais ele já teve trabalhos selecionados, como nos anos de 2006 e 2007.

A charge ‘O fim das trevas’ correlaciona a utilização de painéis de energia solar como uma saída para os custos com energia elétrica, comparando com o início da descoberta do fogo na era das cavernas. “Eu quis retratar dois momentos de grande importância para a humanidade. Eu sabia que tinha um material de qualidade, mas não fiquei criando expectativa”, relatou Billo.

Veterano de premiações, com mais de 27 anos desde o primeiro reconhecimento, Adailson Calheiros recebeu o seu terceiro prêmio enquanto jornalista da Jorgraf. No total, são sete na carreira vitoriosa.

Abordando também a energia solar, Adailson e o repórter de texto Wellington Santos pensaram a pauta em conjunto. Adailson disse que, quando discutia o desenvolvimento da reportagem, ele já tinha ideia de que tipo de foto queria. “As placas de energia solar ficam em cima das casas e eu imaginei pegar o momento no final de tarde quando o sol está se pondo e registrar a placa com a iluminação”, disse o repórter fotográfico sobre a foto vencedora do terceiro lugar.

Há mais de quatro anos como repórter do site Tribuna Hoje, Rívison Batista recebeu seu primeiro prêmio. “A sensação de reconhecimento é sempre muito boa. Já tinha feito algumas matérias especiais, mas não chegaram a ser finalistas em premiações. Passou um filme na minha cabeça no momento, da época em que estudava jornalismo na Ufal até a dificuldade para se encaixar no mercado de comunicação em Alagoas. O prêmio teve também um valor em dinheiro, que é bom, mas não é o foco principal. O foco é ter o trabalho reconhecido. O dinheiro acaba, mas a credibilidade fica”, pontuou.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH