Cidades

23 de outubro de 2021 17:32

Mutirão para conter avanço da dengue recolhe mais de 3 mil pneus em Maceió

Prefeitura mobilizou centenas de agentes de endemias, educadores ambientais, fiscais e supervisores para eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti

↑ Mutirão de Coleta recolheu 3.316 pneus esta semana em Maceió. Foto: Ascom SMS

Para conscientizar a população e conter o avanço dos casos de dengue, zika e chikungunya, o Mutirão de Coleta de Pneus foi encerrado neste sábado (23), com a coleta voluntária em quatro pontos estratégicos de Maceió. Durante a semana, foram recolhidos 3.316 pneus em borracharias, ferros-velhos e pontos de descarte irregular de resíduos. Na ação deste sábado (24), as pessoas levaram os pneus que tinham em casa aos pontos instalados nas praças da Faculdade, Multieventos, Padre Cícero e Osman Loureiro.

A mobilização faz parte da campanha Maceió Unida contra a Dengue, realizada para conter o avanço de doenças causadas pelo Aedes aegypti, que registraram aumento significativo este ano em Maceió. Centenas de agentes de endemias, educadores ambientais, guardas municipais e fiscais de posturas participaram das ações de campo.

“Foi um resultado muito importante no combate à dengue em Maceió. Além da mobilização dos agentes de combate a endemias, foi fundamental o a contribuição de todas as secretarias. É importante observar que o cuidado com a prevenção é feito de forma contínua e o apoio da população e dos comerciantes na manutenção dos ambientes livres de mosquitos é fundamental”, avalia o coordenador de Controle do Aedes aegypti, Erivaldo Raimundo.

A campanha Maceió Unida Contra a Dengue foi lançada em agosto com um conjunto de ações integradas dos órgãos municipais. O objetivo é de mobilizar a população a se engajar na prevenção e eliminação de focos do mosquito, que já causou duas mortes por dengue este ano em Maceió.

De acordo com o Boletim Epidemiológico Arboviroses: Dengue, Chikungunya e Zika, da Gerência de Controle de Vetores e Animais Peçonhentos da Secretaria Municipal de Saúde, com dados coletados até o dia 9 de novembro, Maceió apresentou aumento de 208,81% no número de casos de dengue em relação ao mesmo período de 2020, crescimento de 4% no número de casos de chikungunya e 39,47% mais de zika.

Foram 795 casos notificados de dengue no ano passado e 2.328 casos notificados até o momento, 2.153 deles já com diagnóstico confirmado para a doença. Além disso, foram confirmadas duas mortes por dengue e três estão sob investigação.

A Gerência de Controle de Vetores apela à população para reforçar os cuidados contra o mosquito e informa que a Prefeitura intensificou o trabalho nos locais onde foi identificada a maior incidência das arboviroses.

“Intensificamos o monitoramento diário de casos, com visita domiciliar para identificação de criadouros onde há acúmulo de água com larvas para tratamento, ações em pontos estratégicos, como borracharias e ferros-velhos, entre outros, nessas áreas onde vêm acontecendo mais casos. Por isso, estamos desenvolvendo esses mutirões e fazendo bloqueio nas áreas onde um maior número de pessoas adoeceu”, informa a gerente do setor, Carmem Samico.

Parcerias

A campanha mobilizou ações das Secretarias Municipais de Saúde (SMS), Governo (SMG), Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet), Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs), Comunicação (Secom), Educação (Semed) e Turismo (Semtur), Superintendência de Desenvolvimento Sustentável (Sudes), Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), além de órgãos e instituições como o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-AL), Associação de Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi) e outros parceiros.

Disque Dengue

Os agentes de endemias da Saúde de Maceió fazem trabalho contínuo nas áreas com maiores índices de infecção para garantir a redução na transmissão da dengue no município, além de atender a população pelo Disque Dengue, no número 3312-5495. Por meio deste contato, a população tanto pode denunciar áreas com potencial para proliferação do mosquito quanto receber orientações para corrigir situações que favoreçam a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Fonte: Ascom SMS

Comentários

MAIS NO TH