Cidades

20 de outubro de 2021 07:32

Correios: Senado volta a debater venda da estatal e trabalhadores protestam em Maceió

Debate será transmitido ao vivo no site do Senado e a expectativa é que o ministro das comunicações apresente os números que mostrem o benefício da venda da estatal

↑ Alysson Guerreiro, presidente do Sintect-AL, afirma que está claro que o Sr. Fábio Faria faltou com a verdade quando se trata dos números da empresa (Foto: Divulgação)

O Governo Federal quer que o senado vote, ainda no mês de novembro, o Projeto de Lei 591/2021, que prevê a venda da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. A PL já foi aprovada na Câmara dos Deputados e agora aguarda a votação no Senado Federal. Nesta quarta-feira (19), às 09h, o Senado faz o segundo debate, com a participação da população, no formato virtual, para discutir se realmente a comercialização de mais uma estatal é viável.

Em entrevista ao Estadão na semana passada, o ministro das comunicações, Fábio Faria, chegou a afirmar que a empresa corre o risco de “zerar” a receita com encomendas nos próximos anos, em razão da concorrência com o varejo virtual. “No serviço postal, diz ele, a parte de encomendas é o ‘filé’. O ‘osso’ é entregar cartas e boletos à população”, trouxe a matéria.

Por outro lado, o Governo Federal divulgou no dia 31 de maio deste ano, que os Correios registraram o maior lucro da empresa dos últimos 10 anos.

“O Conselho de Administração dos Correios aprovou as Demonstrações Contábeis de 2020 da estatal, que apresentou lucro líquido de R$ 1,53 bilhão – maior resultado nos últimos 10 anos. Outros indicadores financeiros importantes também foram apurados. O patrimônio líquido obteve um crescimento de 84% em relação ao ano de 2019, totalizando, aproximadamente, R$ 950 milhões. Esses feitos sinalizam a considerável melhora da saúde financeira e dos negócios da empresa.”

Trabalhadores pedem apoio da população contra a privatização dos Correios (Foto: Assessoria)

Em Alagoas, o Sindicato dos Trabalhadores ECT Correios e Telégrafos – (Sintect-AL), demostra preocupação com os interesses políticos com a venda da estatal e nenhuma empatia com os 98 mil funcionários em todo Brasil.

“Entendemos que é preciso que esse projeto seja mais debatido dentro do Senado e que ele chegue à Comissão de Constituição e Justiça, pois trata-se de um projeto  inconstitucional. O artigo 21, inciso 10, da Constituição Federal fala que é atribuição do Governo Federal manter os serviços postais em todo o país. Infelizmente, ficou muito claro que o Sr. Fábio Faria faltou com a verdade quando se trata dos números da empresa”, afirmou Alysson Guerreiro, presidente do Sintect-AL.

Outra dado contestado pela categoria é a inviabilidade do negócio quando se trata da concorrência.

“Não há outra empresa no Brasil com a capilaridade dos Correios. As empresas concorrentes continuam usando os nossos serviços porque eles só atendem os grandes  municípios. Nós é que chegamos nos 5.568 municípios do Brasil. Ninguém mais chega”, enfatizou Alysson Guerreiro.

Além do Ministro das Comunicações, a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) convidou para participar da audiência Martha Seillier, titular da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (SPPI); Diogo Mac Cord de Faria, titula da Secretaria Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério de Economia; Gustavo Montezano, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Marcelo Silva, presidente do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV).

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH