Cidades

15 de junho de 2021 17:08

Repintura da Ibratin minimiza ação de fungos e bactérias na construção civil

O engenheiro civil Diogo Carlos Henrique explica os procedimentos que culminaram com o sucesso da intervenção

↑ Antes e depois da repintura. Foto: Assessoria

Na construção civil a pintura é definida como a aplicação de uma camada protetora, que varia de acordo com o tipo de substrato e acabamento desejado pelo cliente, que além de proteção, promove estanquidade da superfície, minimiza a ação de fungos e bactérias, confere beleza, valoriza o imóvel e promovo sua durabilidade. Quando não é realizada da forma adequada ou no período necessário, sua ausência ou deficiência está associada ao surgimento de trincas e fissuras, bolhas, eflorescência, descascamentos, enrugamento, saponificação, calcinação, desagregamento, deslocamento, descoloração, crateras, manchas brancas e manchas. Estas patologias devem ter suas causas identificadas, sanadas e tratadas antes de qualquer procedimento de repintura.

Em se tratando de repintura, este tipo de manutenção tem sido amplamente negligenciado no Brasil, pois em sua maioria, não são realizados os estudos técnicos preliminares necessários às intervenções, que são executadas fora do prazo de validade da pintura anterior que, também, não recebe as manutenções preventivas ao longo de sua vida útil.

O engenheiro civil Diogo Carlos Henrique explica como usou as tintas da Ibratin para realizar a repintura do Condomínio Jardim Brasileto, em Maceió, utilizando procedimentos técnicos que devem ser tomados como referência para intervenções de repintura.

“Inicialmente fui contratado pelo condomínio para assessoramento técnico no processo de contratação de uma empresa para realização da obra de recuperação estrutural e pintura do empreendimento. Elaborei todo o procedimento de contratação, treinamentos, especificações técnicas, cotações, contratação de serviços de modo que ao final conseguimos com o mesmo recurso ampliar os serviços, utilizar os melhores materiais disponíveis no mercado e contratar mão de obra qualificada para a especificidade que  necessitávamos. O núcleo central é composto pelo síndico e subsíndico, engenheiro e um mestre de obra e nossa principal parceira é a Ibratin”, explicou o engenheiro.

Diogo Carlos Henrique conta que conforme as especificações técnicas da Ibratin, foi necessário realizar um trabalho de educação e conscientização dos moradores no sentido corrigir todas as instalações irregulares nas fachadas.

“Para repintura externa, após pesquisa das opções disponíveis no mercado, escolhi a Ibratin, a melhor fabricante de texturas do país. Inicialmente solicitei uma visita técnica da empresa para identificação das tonalidade e apresentação das alternativas de repintura. Uma das sugestões foi a substituição da textura orgânica existente por uma inorgânica de tonalidade similar à encontrada no local”, disse.

“Estou extremamente satisfeito com a parceria realizada com a Ibratin. No Início, o vendedor Márcio e o técnico Daniel prestaram todos os esclarecimentos, orientações técnicas e treinamento. O supervisor de Vendas Thiago Oliveira forneceu as especificações e rendimentos para que a compra fosse realizada de forma otimizada reduzindo custos e desperdícios. Durante a obra tivemos acompanhamento da equipe e ainda estamos nos comunicando e tendo todo o atendimento para finalizarmos a pintura do empreendimento”, continuou.

O engenheiro explica que os fatores determinantes para o sucesso da intervenção foram a realização de um estudo técnico preliminar, a capacidade de gestão do sr. Romildo Temudo e do sr.  Antônio Silvino, que abraçaram a proposta de realizara um trabalho técnico responsável ao invés de contratar a equipe ou empresa que apresentasse o menor custo, sem uma definição clara das medidas necessárias antes da repintura.

“Seguido da escolha adequada dos materiais, neste caso específico as texturas da Ibratin, aplicados conforme as orientações do fabricante, treinamento e acompanhamento técnico da Ibratin, e por fim, más não menos importante, o acompanhamentos de um engenheiro mediando todas as tomadas de decisão e a execução por profissionais qualificados, treinados e experientes nas respectivas áreas de atuação”, afirma o engenheiro.

Diogo Carlos Henrique explica ainda que a realização do trabalho dentro de todo este rigor técnico minimiza substancialmente as possibilidade de falhas, acidentes e uso inadequado do material, promovendo um acabamento de excelente qualidade, funcional e esteticamente agradável.

“O impacto na qualidade de vida dos condôminos é notório, antes da intervenção de recuperação e pintura, tinham apartamentos em condição insalubres com mofo e durante as chuvas com inúmeras infiltrações o que gerava um número enorme de reclamações. Depois que finalizamos a obra não houve nenhuma relação mesmo tendo havido no mês de abril um registro de 217 mm em 24h, chuva correspondente a todo o mês ocorrida em um único dia, registrado em um pluviômetro próximo do empreendimento. Além da melhoria da estanquidade das fachadas, melhoria da qualidade de vida dos moradores, melhoria estética e em apenas 4 meses de intervenção promoveu uma valorização entre 10% e 15% no valor médio dos imóvel”.

O engenheiro diz que um dos relatos mais impactante que ouviu foi do mestre de obras, Erasmo Cariri, um profissional gabaritado e muito meticuloso na execução da tarefas que lhe são designadas, ao afirmar que em seus mais de 30 anos de execução de obra não havia realizado uma pintura com tantas etapas e tamanho rigor técnico, elogiando inclusive a parceria e contribuição da equipe técnica da Ibratin na execução dos trabalhos. Outro relato foi de um morador que externou sua felicidade e satisfação com a condução dos trabalhos, apoio da Ibratin e acabamento dos serviços, que durante anos estava sem poder pintar seu apartamento em ocorrência de infiltrações na fachada e que agora podia fazê-lo para receber a filha que nascerá em breve.

“Para que não haja surpresas, desperdício de tempo e material, otimização de recursos é imprescindível a contratação de um profissional ou empresa que tenha em seu quadro de pessoal mão de obra qualificada, que possa apresentar antes da intervenção um documento técnico com um estudo específico do objeto a ser recuperado/repintado onde conste todas as intervenções necessárias, cronograma físico financeiro da intervenção, orçamento,  especificação técnicas dos materiais a serem utilizados, equipe certificada com treinamentos exigidos pela ABNT e demais órgãos responsáveis e acompanhamento de um profissional habilitado pelo CREA ou CAU com a devida Anotação de Responsável Técnica – ART e a aquisição de materiais de qualidade”, concluiu.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH