Cidades

8 de maio de 2021 11:03

Igreja Menino Jesus de Praga recusa proposta da Braskem

Segundo secretária, proposta da petroquímica foi 50% abaixo do esperado e surpreendeu direção

↑ Prédio da Igreja Menino Jesus de Praga é um dos poucos a permanecer na região conhecida como epicentro das rachaduras (Foto: Edilson Omena)

Presente no bairro do Pinheiro desde a década de 1980, a Igreja Menino Jesus de Praga deve deixar o bairro em breve, falta apenas a definição em relação a indenização do imóvel. Segundo a direção da igreja, a proposta recebida pela Braskem é 50% abaixo do esperado, o que estaria dificultando as negociações.

Vera Calado, secretária da paróquia, explica que eles já haviam preparado uma avaliação considerando um valor e que foram surpreendidos com a proposta da petroquímica.

Conforme explica Vera, o fluxo de propostas de edificações públicas e comércios seguem um padrão diferenciado do fluxo de compensação das residências.

“Eles nos apresentaram uma proposta 50% menor do que estávamos esperando, metade do valor avaliado. Não aceitamos. Apresentamos uma contraproposta e pedimos prazo de dez dias. Eles disseram que nos dariam um retorno em 20 dias e nós estamos esperando. Não sabemos se eles irão acatar a proposta ou irão apresentar outra. A conversa deles é muito pouca, eles não explicam quais critérios usam ou porque chegaram ao valor”, detalha Vera.

A secretária da paróquia explica ainda que não há como realizar mudança para outro espaço. Porque mesmo se aceitassem a indenização abaixo do valor não teriam como buscar outro terreno na região.

“As igrejas são direcionadas por território. Então mesmo que tivéssemos recebido não poderíamos comprar um terreno no Tabuleiro, por exemplo, para construir porque precisa ser um terreno na mesma região, ser uma paróquia na mesma área”, conta.

O prédio é um dos poucos a permanecer na região conhecida como epicentro das rachaduras. Com missas sendo realizadas diariamente, a direção do templo afirma que não há riscos estruturais, apenas pela questão da falta de movimentação de moradores, o que torna a área insegura.

Procurada, a Braskem informou que está em tratativas de forma individual com os proprietários.

“A Braskem segue em tratativas para a compensação e realocação dos imóveis localizados na área de criticidade 00 do mapa de ações prioritárias definido pela Defesa Civil, incluindo os templos religiosos. Os casos são tratados individualmente, e as propostas de indenização são sempre embasadas em dados e laudos técnicos”, explica a empresa.

História da igreja se confunde com evolução do bairro. De acordo com a direção, a igreja surgiu com a necessidade de ampliar as orações que eram feitas por grupos de moradores.

“A ideia de construir uma igreja no Conjunto das Acácias se deu a partir do hábito, já algum tempo, de um grupo de jovens se reunirem para reza do terço. Aos poucos, foi o templo dedicado ao Menino Jesus. Com o passar dos tempos, viu-se a necessidade de aumentar as dependências da igreja, devido ao grande número de fiéis que acompanhavam as missas. E em 12 de Março de 2002, foi dada a bênção do alicerce da nova matriz pelo então. A construção foi toda feita pelo empenho e contribuição da comunidade”, conta Vera.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH