Cidades

8 de abril de 2021 10:15

Trabalhadores do transporte público realizam ato em Maceió

Rodoviários cobram pagamento de benefícios e reclamam de lei que extingue função de cobrador

↑ A via foi liberada por volta das 11h desta quinta-feira (8) (Foto: Edilson Omena)

Dezenas de motoristas e cobradores de ônibus de Maceió realizaram um protesto na manhã desta quinta-feira (8). Com faixas contra a extinção da função de cobrador e o pagamento de benefícios em atraso, os trabalhadores bloquearam a faixa azul na altura da Praça Centenário até o Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa), no bairro do Farol. Mais de cem veículos estacionaram na Avenida Fernandes Lima. O ato segue até às 11h e apenas entre s linhas que operam na Avenida Durval de Góes Monteiro/Fernandes Lima com sentido Centro.

Ao portal Tribuna Hoje, Sandro Régis, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado de Alagoas (Sinttro), ressalta que o ato desta quinta tem caráter de alerta às demandas da categoria.

“Nossa reivindicação é pacífica e estamos realizando esse ato por duas horas para chamar atenção da sociedade para a negligência que os empresários estão fazendo com os motoristas e cobradores. As audiências com o MPT [Ministério Público do Trabalho] não adiantaram. Estamos com três meses do vale-alimentação em atraso e o plano de saúde não está sendo repassado. Solicitamos também entrar no grupo prioritário da vacinação contra Covid-19, já que fazemos um serviço essencial que não pode parar e temos contato com a sociedade diuturnamente”, relata Sandro Régis.

Ainda de acordo com o presidente do Sinttro, a lei do vereador Galba Netto (MDB), recém -aprovada pela Câmara Municipal de Maceió, que extingue a função de cobrador, piora a situação dos rodoviários. Nesta quarta-feira (7), cerca de 20 trabalhadores foram demitidos, sendo nove de uma única vez.

Mais de 100 ônibus ficaram estacionados durante o ato, da Centenário á altura do Cepa (Foto: Edilson Omena)

“Essa lei veio não para melhorar, mas para deixar pais de família desempregados em plena pandemia. Essa história de que seriam remanejados não existe. As empresas não têm outros setores para colocar tantos funcionários”, reclama Sandro Régis.

Muitos passageiros reclamaram da situação. “A gente que sofre com isso. Vou chegar atrasado nos meus compromissos e ainda tenho que descer a pé para o Centro, daqui do Cepa. Eles não pensam nos idosos e deficientes que precisam do transporte público. Já que os empresários não estão fazendo o pagamento, então os cobradores pegam o que receber dos passageiros durante a corrida e dividem no fim do dia, pronto”, opina um passageiro.

Passageiros desceram dos ônibus e seguiram a pé ao seus destinos (Foto: Edilson Omena)

AUDIÊNCIA

Às 14h30 desta quinta haverá uma audiência de reconciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) entre o Sinttro e o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Maceió (Sinturb) em busca de um acordo para evitar a greve anunciada para esta sexta (9).

SINTURB

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) disse que o Sinttro-AL descumpre a sentença judicial, que proíbe greve, piquete ou qualquer tipo de paralisação do transporte urbano de Maceió.

Com a greve realizada nesta quinta (8), os rodoviários ocasionaram uma aglomeração de passageiros dos ônibus que foram impedidos de circular, tendo que desembarcar em via pública, ferindo assim o decreto estadual, afirma o Sinturb.  ”As empresas de ônibus reiteram ainda que está previsto na sentença uma multa diária de R$ 50 mil pelo seu descumprimento, e o fato ocorrido hoje será relatado ao desembargador do TRT”.

Fonte: Tribuna Hoje / Lucas França e Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH