Cidades

8 de abril de 2021 10:39

Inscrições para a Olimpíada de Língua Portuguesa estão abertas

Cadastro deve ser feito no site escrevendoofuturo.org.br e contempla estudantes e professores do ensino fundamental e médio

↑ Polyanna da Paz, da Escola Estadual Alfredo Gaspar, foi premiada em SP por seu Relato (Foto: Valdir Rocha)

Escolas públicas e secretarias estaduais e municipais de Educação de todo o Brasil têm até o dia 30 de abril para efetuarem suas inscrições/adesão à sétima edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, concurso de produção de textos que reconhece trabalhos de professores e estudantes do 5º ao 9º ano do ensino fundamental e da 1ª à 3ª série do ensino médio. O cadastro deve ser feito no site escrevendoofuturo.org.br.

Uma iniciativa da Fundação Itaú para Educação e Cultura (Itaú Social) com a coordenação técnica do Centro de Pesquisa em Educação Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), juntamente com o Programa Escrevendo o Futuro em parceria com o Ministério da Educação (MEC), a OLP visa contribuir para a melhoria do ensino e aprendizagem da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. O evento, além de premiar produções textuais de estudantes da rede pública, promove formações com professores. Em Alagoas, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) coordena a olimpíada nas escolas estaduais e municipais.

Categorias

A competição conta com cinco categorias de gênero textual para inscrição: poema, para estudantes do 5º ano do ensino fundamental; memórias literárias, para alunos do 6º e 7º anos; crônica, para as turmas de 8º e 9º anos; documentário, para estudantes da 1ª e 2ª série do ensino médio e artigo de opinião para os alunos da 3ª série do ensino médio. Além disso, os professores inscritos devem produzir relatos de prática onde detalham as atividades e materiais utilizados nas oficinas com seus alunos. Este ano, a novidade é que, quando um relato for selecionado, toda a turma será premiada.

Premiações

A OLP reconhece o trabalho tanto de estudantes e professores e as premiações vão desde certificados, assinaturas de periódicos e smartphone (este último para professores) para semifinalistas; leitores digitais para os finalistas; tablets (alunos) e notebooks (professores) para os vencedores e placas de homenagens para as secretarias de Educação e escolas.

Números

Segundo dados da coordenação da OLP, Alagoas registrava, até esta quarta-feira, dia 07, 1.552 trabalhos, 854 professores (das redes estadual e municipal) e 427 escolas estaduais, municipais e federais inscritos no concurso. Além disso, a Seduc-AL e mais 91 secretarias municipais de Educação fizeram sua adesão à olimpíada.

Edição 2019

Em 2019, Alagoas teve diversas medalhas na sexta edição da OLP. O estado teve 16 estudantes semifinalistas que representaram o estado nas etapas regionais e nacional em São Paulo.

Na etapa nacional, foram medalhistas de prata os alunos Nickolas Henrique, Matheus Walisson, Naira Danyelle e seus professores Geraldo Ribeiro, Jacira Maria e Ismaeli Galdino foram os responsáveis por trazer as medalhas de prata para o estado de Alagoas.

O estudante Nickolas Henrique Gomes da Silva e o professor Geraldo Ribeiro Bessa Neto, da Escola Ensino Fundamental Marieta Leão, de Rio Largo, garantiram a medalha de prata no gênero Poema.

Na categoria Memórias Literárias, outra prata para o aluno Matheus Walisson da Silva e a professora Jacira Maria da Silva, da Escola Municipal Doutor José Haroldo da Costa, de Maceió.

Já na categoria Artigo de Opinião, a aluna Naira Danyelle de Souza e a professora Ismaeli Galdino de Oliveira e Santos, da Escola Estadual Padre Aurélio Góis, de Junqueiro, também conquistaram prata.

Naira Danyelle e a professora Ismaeli Galdino da Escola Estadual Padre Aurélio Gois de Junqueiro foto cortesia

O estado teve ainda medalhistas de bronze nas etapas regionais da competição: na categoria Documentário, foram premiadas as equipes de Caio César da Silva Santos, Iuri de Lima Vieira e Izabel Victória dos Santos Ferreira, do Colégio Tiradentes – Unidade Maceió; Camilly Tenório Bispo, Fernanda Vitória Belarmino da Silva e Samilly dos Anjos Alves, da Escola Estadual Belarmino Vieira Barros, de Minador do Negrão e Noemy Keyla de Oliveira Cavalcante, Lívia Tenório dos Santos Silva e Mayza Raynara Costa dos Santos, da Escola Estadual Padre Aurélio Gois, de Junqueiro.

Além disso, a professora Polyanna Paz, que leciona na Escola Estadual Alfredo Gaspar de Mendonça, de Maceió, foi premiada pelo seu Relato de Prática no gênero Memórias Literárias.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH