Cidades

4 de fevereiro de 2021 09:01

86 municípios alagoanos já cancelaram festividade de Carnaval

Medida é em cumprimento à recomendação do MPE para evitar ainda mais a propagação do novo coronavírus em Alagoas

↑ Na capital, prévias e festa de Momo foram adiadas; previsão é de que aconteçam entre 4 e 7 de setembro (Foto: Adailson Calheiros)

Diante da pandemia do novo coronavírus, 86 municípios alagoanos cancelaram a folia de Carnaval. A informação é da Associação dos Municípios de Alagoas (AMA) que reforçou ser um levantamento prévio, restando ainda 16 cidades. O Município de Maceió se pronunciou ontem através de coletiva à imprensa.

“A tendência é que todos os municípios alagoanos cancelem a festa, para evitar qualquer tipo de confronto com o Ministério Público e em respeito à pandemia. Essa é a nossa orientação”, disse a AMA por meio da assessoria de comunicação.

Os representantes dos 86 municípios estão cumprindo a recomendação do Ministério Público Estadual (MP/AL) de não realizarem qualquer festa pública de Carnaval. O procurador-geral de Justiça, Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, ressaltou que o momento é que toda a coletividade se engaje para evitar ainda mais a propagação da Covid-19.

“Então, como o decreto governamental proíbe grandes festas, não será possível aos gestores investirem recursos públicos na realização de eventos. Além disso, o dinheiro deverá ser aplicado em ações para proteger a população da pandemia”, destacou.

Entre as recomendações aos prefeitos, está não realizar qualquer festa pública de Carnaval, cancelar contratos, publicação de editais ou qualquer tipo de despesa, repasse, patrocínios ou outras formas de destinação de recursos públicos para esse fim, incluindo contratação de shows.

A recomendação será acompanhada pela força-tarefa de combate à Covid-19 do MP/AL formada pela Procuradoria-Geral de Justiça, Corregedoria-Geral, Ouvidoria, Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça, núcleos especializados e um grupo de promotores de Justiça.

MACEIÓ

A Prefeitura de Maceió anunciou ontem que a capital também não realizará a festa de Momo na data em que se comemora o Carnaval. As prévias carnavalescas e a festa de Rei Momo serão adiadas para setembro deste ano. A previsão é que as festas sejam realizadas de 4 a 7 de setembro. Mas o ponto facultativo do Carnaval nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro está mantido.

A decisão foi baseada em estudos científicos que apontam crescimento na curva de contaminação pelo novo coronavírus no Brasil.

Para o presidente da Liga Carnavalesca de Maceió, Dinho Lopes, a decisão do adiamento é uma medida mais do que esperada. “Não faria qualquer sentido liberar o Carnaval nesse momento. A própria Liga Carnavalesca de Maceió composta por 10 eventos carnavalescos abertos, como os blocos que desfilam na orla há quase 40 anos e que reúnem milhares de pessoas de todas as tribos, sejam jovens, adultos, crianças, entre outros e os fechados, como os tradicionais bailes pré-carnavalescos realizados nos clubes e casas de shows, já não foram realizados esse ano, pois a nossa extensa programação de prévias teria início no primeiro domingo de janeiro e se estenderia até o Carnaval”, detalhou.

Sobre a decisão de realização de um carnaval fora de época em setembro, Dinho Lopes entende que serão necessárias conversas e reuniões da prefeitura através da Fundação Cultural de Maceió e todos os atores envolvidos nesse grande espetáculo.

“A Liga Carnavalesca de Maceió é parceira na realização do nosso carnaval e aguardará a convocação do município para que venhamos a discutir e encontrar uma decisão junto também ao Gabinete de Gestão Integrada para enfrentamento ao Covid do município, pois o que temos hoje é apenas uma previsão, por exemplo, do calendário de vacinação, que torcemos muito para que seja possível ser cumprido”, destacou.

O presidente da Liga Carnavalesca de Maceió salientou que prevaleceu a razão sobre o adiamento e espera que a fiscalização seja efetiva e eficiente para proibir as aglomerações e, por consequência, preservar vidas.

“Aos foliões a mensagem é de esperança e que para tanto, guardemos nossas boas vibrações e energias para o próximo Carnaval seja em setembro ou em 2022, quando estaremos novamente juntos na avenida, pois o Carnaval é para todos”, finalizou.

Lojistas confirmam funcionamento do comércio de Maceió

Boa parte dos lojistas do comércio de Maceió confirmou o funcionamento dos estabelecimentos na segunda-feira (15), terça-feira (16) e quarta-feira (17) e abrem normalmente como de costume.

O presidente da Aliança Comercial de Maceió, Guido Júnior, disse que por ser ponto facultativo, não tem como determinar exatamente quem faz o que, porém, enfatizou que as lojas estarão abertas.

Conforme Guido Júnior, as lojas âncoras do centro já confirmaram a abertura, como aquelas de departamentos de roupas e eletrodomésticos. As demais, Guido reforçou, que ficam a critério de cada lojista decidir se opta por funcionar ou não. “Mas, considerando que as maiores abrirão, a tendência é que sigam o mesmo caminho e o centro funcione normalmente”, completou.

PONTO FACULTATIVO

O Estado de Alagoas não terá ponto facultativo no carnaval. O governador Renan Filho ainda não decidiu sobre a realização de festas.

O Gabinete Civil informou que está aguardando a decisão por parte do governador e da coordenação que cuida das questões da Covid no Governo, e acredita que até o fim desta semana o Renan Filho deva se pronunciar sobre o assunto.

Sobre o ponto facultativo, de acordo com a Associação dos Municípios de Alagoas (AMA), se trata de uma decisão independente de cada gestor, com base no que o Estado deliberar. “Ainda não fizemos o levantamento sobre isso, porque os prefeitos ainda estão em decisão no aguardo do Estado. Por isso não temos essa resposta ainda”, observou a AMA.

“Até o momento, 85 municípios responderam ao levantamento feito pela AMA que não irão fazer os festejos de Carnaval. Mas nós lembramos que isso é um dado prévio, porque, como algumas cidades ainda não possuem assessoria, nós estamos tentando o contato direto com os prefeitos a respeito do assunto”, pontuou.

José Hilton Lopes Feitosa, mais conhecido como Prego, vice-presidente da Liga das Escolas de Samba Independente de Maceió, – que compõe as quatro maiores escolas de samba de Maceió (Gaviões, 13 de Maio, Girassol e Unidos do Poço), – ressaltou que o poder público agiu de forma acertada.

“Temos que proteger os componentes, principalmente os do grupo de risco. As escolas têm muitos idosos na ala das baianas, por exemplo. A saudade bate, inclusive já começou faz tempo, em outubro do ano passado, quando chegávamos ao barracão e não encontrávamos costureiras e decoradores para fazer as fantasias e adereços para colocar os sonhos na avenida e realizar o Carnaval vinha aquela tristeza. Mas temos que respeitar a saúde de todos, agora o momento é de se aquietar e mais adiante fazermos um Carnaval bem bonito”, mencionou José Hilton (Prego).

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH