Cidades

22 de janeiro de 2021 12:49

Menos de 1% das mortes por Covid-19 é de crianças

Especialistas explicam que a doença se apresenta de maneira menos agressiva na faixa etária de 0 a 10 anos de idade

↑ OMS desaconselha uso de máscara entre 0 e 5 anos por risco de sufocamento; já SBP indica a partir dos 2 anos (Foto: Edilson Omena)

A divulgação esta semana do óbito de uma criança de dez anos por complicações de Covid-19 repercutiu entre as notícias no estado. No entanto, dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) mostram que menos de 1% das mortes ocorreram na faixa etária de 0 a 10 anos.

De acordo com o boletim divulgado ontem (21), Alagoas registra um total de 2.656 mortes por complicações da doença e destas apenas 14 são de crianças até 10 anos. Dentre os 112.854 casos confirmados em Alagoas, 2.956 foram de crianças dessa faixa etária.

A presidente da Sociedade Alagoana de Pediatria, Ana Carolina Pires explica que as crianças raramente apresentam evolução grave da doença. O entendimento é de que o organismo dos pequenos tem uma resposta diferente do que é observado nos adultos.

“Provavelmente porque os adultos têm uma resposta inflamatória maior… Como o sistema imunológico da criança ainda não está completamente desenvolvido, não desencadeia essa cascata inflamatória que leva a tantas comorbidades no adulto. As crianças em sua grande maioria têm sintomas de uma gripe bem leve”, enfatiza.

Um ponto de consenso entre os especialistas é que os casos de óbitos em crianças envolvem comorbidades, outras doenças associadas.

Entretanto, a menor letalidade não significa que as crianças estejam menos suscetíveis ao vírus e sua transmissão. É preciso que os cuidados e as medidas de prevenção permaneçam sendo intensificadas. É o que destaca o também pediatra João Lourival Junior.

“Quantas crianças foram a óbito no estado? No Brasil? No mundo? Estatisticamente a doença parece ser menos letal, a capacidade de mortalidade é menor na criança. Não significa que a criança não tenha seu papel. Ela é um agente transmissor e pode se contaminar, contaminar o adulto. E não é só isso. Algumas crianças têm doenças, e doenças graves e podem ser acometidas de forma grave. Não se diz que a Covid-19 não mata criança, mas estatisticamente ela tem um poder de letalidade na criança muito menor”, aponta.

PREVENÇÃO

A Organização Mundial de Saúde (OMS) desaconselha o uso de máscaras entre crianças de 0 a 5 anos por risco de sufocamento.

Já a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que o uso seja feito a partir dos 2 anos de idade “em função do ritmo de contágio ainda alto no Brasil”

“A máscara não é recomendada apenas em poucos casos, quando a criança mesmo acima dos dois anos tem dificuldades de adaptação”, informa a SBP.

De acordo com o pediatra João Lourival Junior, nos casos onde a criança não pode utilizar as máscaras, devem ser adotadas as demais medidas de prevenção. “Evitar aglomerações, distanciamento social, os mesmos; exceto máscara pelo risco de sufocamento”, afirma.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH