Cidades

19 de janeiro de 2021 10:07

Assistente social é a primeira a ser vacinada em Alagoas

Marta Ferreira de Lima, de 50 anos, é servidora pública há 25 anos, e trabalha no Hospital da Mulher, em Maceió

↑ Momento histórico, primeira pessoa a ser vacinada em Alagoas contra o Covid19, a servidora do Hospital da Mulher, Marta Antônia (Foto: Edilson Omena)

O Plano de Vacinação Estadual já começou a ser colocado em prática em Alagoas. A vacina CoronaVac chegou ao estado às 22h40 desta segunda-feira (18). E na manhã desta terça-feira (19) teve início a distribuição dos imunizante para os municípios alagoanos.

A primeira pessoa a ser vacinada no estado é a servidora do Hospital da Mulher, Marta Ferreira de Lima, de 50 anos, assistente social,  que trabalha há 22 anos no Sistema Único de Saúde (SUS); em seguida foi a vez do Cacique Albiran Costa, da Aldeia Xucuru-Cariri de Palmeiras dos Índios. A solenidade ocorreu nesta manhã no Hospital Metropolitano, na parte alta de Maceió.

Foto: Edilson Omena

Para Marta é um privilégio ser a primeira vacinada no estado. “Acredito no sistema, sou grata aos voluntários e pesquisadores que fizeram esse momento acontecer,  agradeço ao governador pela forma que foi conduzida, bem como o secretário de Saúde Alexandre Ayres. Sei que podemos fazer de forma qualificada e segura, participar do momento é impar”, destacou.

O Cacique se disse bastante emocionado e agradeceu ao governador pelo momento especial. Ele agradeceu ainda a Secretaria de Saúde Indígena pelo trabalho desenvolvido dentro das comunidades pela preservação da saúde de cada indígena.  “Chegou o momento e temos que ter a consciência de vacinarmos e esse recado vai diretamente para o meu povo de Alagoas e Sergipe que estão nas comunidades isolados e preservados”, salientou.

O governador Renan Filho classificou o momento como de esperança para a população. “Quero iniciar dizendo que será uma caminhada longa que nós teremos um caminho árduo pela frente. Recebemos 87 mil vacinas, 16 mil das quais serão destinadas exclusivamente a comunidade indígena, a primeira leva de vacinas para a comunidade indígena vai garantir a vacinação de 70% dos indígenas aldeados alagoanos”.

“O remanescente será a parcela mais jovem desta dessa população, o que já dará uma grande segurança à comunidade indígena, além disso vamos priorizar os profissionais de saúde que estão na linha de frente e por isso estamos hoje no Hospital Metropolitano, promovendo a vacinação. Vamos priorizar também os idosos que estão abrigados em longa permanência, que são grupos de altíssimo risco,  depois disso vamos seguir com a chegada de novas vacinas, vacinando a população com mais de 60 anos e profissionais de educação para garantir um retorno mais seguro as aulas esse ano, de maneira que é um processo longo um processo lento e a principal arma para que a gente possa avançar mais rápido é a produção doméstica de vacinas”, explicou Renan Filho.

Exportação 

Renan Filho lembrou que que o Brasil agora assim como o mundo inteiro está lutando por vacina. Segundo ele, a exportação só poderá acontecer quando todos os brasileiros estiverem imunizados. “Exportar não teria sentido de maneira que o contrário também é verdadeiro, os outros países não vão exportar vacinas para nós, nós precisamos produzi-las domesticamente, e por isso uma crise dessa natureza vai reafirmar a importância da ciência e da tecnologia, da pesquisa e da Inovação”, ressaltou.

De acordo com o governador, vai valorizar importantes instituições centenárias e para o povo brasileiro são muito muito eficazes como o Instituto Butantan e a Fiocruz, que são as duas instituições responsáveis por conseguir garantir a produção doméstica de vacinas.

“Eu espero que com as vacinas definidas e e a produção de insumos acelerem para que nos próximos três quatro meses a gente tenha oferta muito maior de dose do Brasil para chegar a população de maneira geral, iniciando pela imunização das pessoas com mais de 80 anos e iremos descendo acima de 65 anos, acima de 60, acima de 65, porque aí sim, nós vamos observar grande efeito na rede hospitalar e uma imensa preservação de vida”, detalhou.

Ainda no local, a técnica de enfermagem, Rita de Cássia Santos da Silva, 40 anos, – que atua no Metropolitano na linha de frente contra a pandemia do novo coronavírus,- foi a primeira funcionária a ser imunizada.

A técnica de enfermagem conta que recebeu a notícia que iria ser a primeira da unidade a ser vacinada com medo no início, mas agradeceu a Deus pela oportunidade. “Fiquei muito assustada, mas já estava aguardando por essa hora a muito tempo. Não só eu mais todos os seres humanos. Essa pandemia tirou muitas vidas, mudou a nossa maneira de enxergar o mundo”.

Rita acrescenta que está muito feliz e espera que a imunização para todos os brasileiros aconteça o mais breve possível. “Estou muito feliz. É um momento histórico para Alagoas, para o mundo. E que venha para todos nós, minha família, amigos e não só para os profissionais da linha de frente. Sabemos que é só uma primeira etapa. É devemos continuar seguindo todas as recomendações, usando máscaras e distanciamento até todos sermos imunizados”, ressalta.

A médica Guacira do Hospital do Agreste, em Arapiraca, foi a terceira profissional da saúde a ser vacinada, o quarto vacinado foi o maqueiro do Hospital Geral do Estado (HGE) Aloísio Manuel, conhecido como chocolate. Ele foi recebido com aplausos.

A Quinta a ser vacinada técnica de enfermagem a Rita de Cássia que estava emocionada no momento da vacinação. E o sexto foi o fisioterapeuta do Hospital Geral do Norte, Gustavo de Mendonça. E finalizando, na manhã de hoje,  o médico do Serviço Móvel de Urgência (Samu), Reginaldo Melo, foi o último a receber a dose da CoronaVac.

PLANEJAMENTO

O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, falou do planejamento e a organização do plano de combate à pandemia. Avaliou como capaz. E mostrou que Alagoas fez o correto, não entregou hospitais de campanha, mas deixou instrumento de saúde para toda Alagoas com os novos hospitais.

De acordo com Rena Filho, toda a rede hospitalar tanto em Maceió quanto Arapiraca onde têm os hospitais referência  vão receber uma quantidade maior, porque estão tratando mais pessoas nesse momento. “Vamos mandar para as outras cidades proporcional a população, estamos fazendo exatamente a mesma coisa que o Brasil fez com os estados, destinando doses proporcionalmente a população, então quanto maior o município mais dois a receber”.

Cacique Albiran Costa, segundo a ser vacinado em Alagoas (Foto: Edilson Omena)

 

Fonte: Tribuna Hoje / Texto: Lucas França l Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH