Cidades

16 de janeiro de 2021 16:12

Mais de 100 mil estudantes estão inscritos para fazer o Enem neste domingo em Alagoas

Estado teve aumento de 14% no número de inscritos nesta edição do exame

↑ Escolas são preparadas de acordo com os protocolos sanitários para receber candidatos neste domingo (Foto: Edilson Omena)

Alagoas teve um aumento de 14% no número de inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2020. 102.577 estudantes devem prestar o exame no estado, o que equivale a 12,7 mil candidatos a mais que os 89,8 mil inscritos em 2019. As provas que estavam previstas para novembro acontece só agora em consequência da pandeia do coronavírus.
Dos 102,5 mil candidatos alagoanos, 100.739 se inscreveram para a versão impressa, que acontece nos dias 17 e 24 de janeiro. E 1.838 para a versão digital nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Esta última com provas apenas nos municípios de Maceió e Arapiraca.

As informações foram divulgadas pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), com base nos dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pela aplicação do exame.
Segundo o Inep, mais de 40 mil candidatos estão entre a faixa etária de 21 a 30 anos. Dos 102.577 estudantes, 60 mil são mulheres, e 71.958 com o ensino médio concluído. 68.014 tiveram declaração de carência aprovada para o pagamento da taxa de inscrição do certame.

Quando observadas somente as inscrições dos estudantes da rede estadual de ensino de Alagoas, também houve aumento (12,2%), passando de 14,2 mil inscritos em 2019 para 15,9 mil em 2020.

O estado cedeu 120 escolas para serem usados como locais de prova, 73 delas ficam em Maceió, destas, 19 estão localizadas no Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa). Há ainda os colégios privados. Durante toda esta semana, as escolas foram higienizadas e organizadas para a realização do exame seguindo todos os protocolos sanitários para receber os candidatos.

De acordo com o coordenador do Enem em Alagoas, Ademir Oliveira, o quantitativo de locais de prova também aumentou, porque foi reduzido o número de candidatos por sala. “São 354 locais de prova. Em 2019 foram 270 locais, ou seja, um índice de mais de 30% em relação ao mesmo período do ano anterior”, salientou. “Estamos com toda equipe pronta para a grande tarefa”, frisou.

Para o coordenador de cursinho, Victor Fireman, nos dias que antecedem a prova ainda é tempo para revisão, porém de forma moderada. Ele explicou que o Impacto, por exemplo, está realizando durante a semana que antecede cada dia de provas a ‘Contagem Regressiva’, sendo trabalhadas as principais dicas, de forma objetiva, descontraída e principalmente motivacional.

“Trabalhar o psicológico dos alunos nesse momento é crucial, já que isso pode afetar consideravelmente o resultado. É válido estudar resumos e mapas mentais nesse momento, mas de forma moderada”, ressaltou.

Na reta final do exame é melhor relaxar, segundo Victor Fireman, para alcançar um bom resultado nas provas. “O aluno precisa estar descansado e tranquilo, então é melhor reservar o dia anterior para dar folga a mente. O nervosismo pode bater, afinal, é um exame que determina o futuro, mas o que não pode acontecer é deixar que a ansiedade chegue ao ponto de prejudicar o bom desempenho. Então é preciso achar maneiras de relaxar, como ouvir música, encontrar amigos, assistir um filme”, explicou.

O coordenador de cursinho disse ainda que esse não é o momento para estudar assuntos complexos, mas de revisar, pegar os resumos e os mapas mentais. Além disso, sugere que os candidatos trabalhem o psicológico, sendo positivo. “Lembre-se de todo esforço que foi feito e acredite na sua capacidade.”

Para aqueles que seguem alguma religião, o momento é de oração, pedindo tranquilidade e sabedoria em todo momento. Segundo Victor Fireman, essa é uma ótima maneira de acalmar e estimular a autoconfiança. “E não esqueça, uma boa alimentação e hidratação são essenciais, evite alimentações pesadas e bebidas energéticas, afinal, é melhor não correr riscos”, considerou.

E NO DIA?

Fireman afirmou que o primeiro de tudo é separar o documento oficial com foto, caneta esferográfica de cor preta transparente e o cartão de confirmação de inscrição. Segundo, procurar sair cedo de casa e lembrar que o trânsito no dia da prova fica caótico, então fazer um planejamento para evitar sair próximo do horário de fechamento dos portões é fundamental. E terceiro, o candidato acreditar que é capaz e vai conseguir passar. Ter confiança e não deixar nada abalar o seu dia.

Psicóloga dá dicas de como diminuir o nervosismo antes da prova

A psicóloga Ana Paula Sarmento confirma que essas emoções ficam, de fato, mais evidentes, mas que é preciso saber lidar com elas para que o aluno não termine se atrapalhando e sendo prejudicado. “É recomendável que nestes últimos dias que antecedem o Enem, os estudantes tentem relaxar ao máximo. Agora não é mais momento de passar horas estudando, de se sobrecarregar, mas sim de revisar o conteúdo.”

Para ela, é importante dedicar parte do tempo fazendo atividades que a pessoa goste e até mesmo que a faça esquecer um pouco a tensão pré-prova. “Assistir a filmes e a séries é uma maneira muito interessante de desopilar. Os telejornais também são outra opção, pois trazem muitas informações do cotidiano, que podem auxiliar no momento do Enem. Além disso, é preciso descansar bastante. Ter boa noite de sono – tentar dormir pelo menos 8 horas. Fazer um programa descontraído, mesmo que em casa, com a família. Ter também uma alimentação mais leve”, pontua.

Ana Paula revela que o candidato precisa ter em mente, principalmente, que ele fez a parte dele estudando e se preparando para a prova. “Quem se preparou ano inteiro deve ir fazer o Enem se sentindo seguro. Se porventura durante a prova surgir o ‘famoso branco’, o candidato deve parar, se concentrar na respiração, tomar uma água, fechar um pouco os olhos e voltar para a prova.”

Com a pandemia, houve a suspensão das aulas presenciais nas escolas e, durante boa parte do ano, também nos cursinhos pré-vestibulares. Os alunos tiveram que se adaptar ao ensino remoto com as aulas totalmente on-line. Isso exigiu ainda mais concentração.

Aluna do Colégio Santíssimo Senhor, Clarysse Mariana conta como foi complicada a preparação. “Foi difícil ter foco em casa, já que não estávamos acostumados a estudar o dia inteiro através da tela de um celular ou computador. Ao mesmo tempo, foi desafiador para nos dar autonomia e controlar a insegurança que a maioria dos vestibulandos têm. Contamos com a ajuda dos professores, que também passaram por um grande desafio, e isso acabou descomplicando”, fala a aluna.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Ana Paula Omena com assessoria

Comentários

MAIS NO TH