Cidades

23 de outubro de 2020 08:00

Em Alagoas, cursos com nota máxima no Enade são públicos

Sete mais bem avaliados no exame são da Ufal e da Uncisal, em meio a cortes de R$ 1 bi no ensino superior federal

↑ Ufal (Foto: Adailson Calheiros)

Em meio ao cenário de cortes de R$ 1 bi em todo o ensino superior federal previsto para 2021, universidades públicas de Alagoas tiveram nota máxima no conceito Enade em sete cursos. Medicina, Enfermagem, Odontologia, Nutrição e Engenharia Civil da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e de Fisioterapia e Segurança no Trabalho da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) foram considerados os melhores cursos do estado.

A segunda melhor nota, o conceito 4 também foi obtido em grande maioria por cursos de universidades públicas. Ao todo 14 cursos avaliados em Alagoas tiveram nota 4, e apenas dois deles em universidades particulares.

O Enade é um dos indicadores utilizados pelo Ministério da Educação (MEC) para avaliar o desempenho dos estudantes e das instituições de ensino superior em todo o país. Os resultados da edição de 2019 foram divulgados esta semana. De acordo com o MEC, 81% de todos os cursos com melhor avaliação são de universidades públicas.

O reitor da Uncisal, Henrique Costa comemorou o desempenho da instituição. Segundo ele, o resultado é fruto de um trabalho que vem sendo desempenhado há alguns anos.

“Somos uma universidade diferenciada. Esse avanço é reflexo disso. É uma vitória de toda a comunidade, em especial dos discentes. É gratificante ver o avanço, perceber os grandes professores que temos, ver o aproveitamento dos estudantes e o envolvimento dos servidores. Estamos felizes com esta conquista”, enfatizou o reitor.

Conforme explicou a Ufal, o Enade é um “requisito obrigatório” para que os estudantes concluintes realizem a colação de grau. Todos os anos são avaliados um grupo de cursos, chamados ciclos, cada área ou ciclo são avaliados a cada três anos. No ano passado, as provas foram para os concluintes nos cursos de  bacharelado em Engenharia, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Agrárias, Ciências da Saúde e áreas afins, além daqueles de cursos superiores de tecnologia das áreas de ambiente e saúde, produção alimentícia, recursos naturais, militar e segurança.

O resultado, segundo o reitor da Ufal, Josealdo Tonholo, reforça a importância do ensino público no país.

“Conseguimos notas muito boas para alguns cursos e isso é muito louvável, fruto do trabalho conjunto do nosso corpo docente e do empenho dos nossos alunos. Temos equipe muito qualificada, a grande maioria de mestres e doutores e com dedicação exclusiva. Isso pesa muito positivamente. Todos estão de parabéns!”, afirmou o reitor da Ufal.

Outro ponto importante constatado na avaliação do Inep foi a diferença de desempenho entre alunos de universidade públicas, particulares e os que realizam aulas na modalidade à distância (EAD).

Em todo o país 27% dos cursos presenciais tiveram conceitos 5 e 4 os da modalidade EAD representaram 16%. Em relação aos cursos de desempenho insatisfatório, 51% dos conceitos 1 e 2 foram de cursos EAD.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH