Cidades

30 de setembro de 2020 08:48

Artista pintará mural de mais de 80 metros em nome da preservação

Ação acontece na Barra de Santo Antônio e na sede do Instituto Biota, em Maceió

↑ Ideia do artista Alexandre Huber de envolver arte e defesa do meio ambiente surgiu há mais de uma década; perspectiva é pintar 100 painéis no Brasil (Foto: Edilson Omena)

O artista plástico e ativista marinho, Alexandre Huber está em Alagoas para realizar a pintura de murais na sede do Instituto Biota, em Maceió, e na sede da APA Costa dos Corais, na Barra de Santo Antônio. Um dos painéis pintados pelo artista terá mais de 80 metros de comprimento e 3 de altura.

À Tribuna Independente, o artista plástico explicou que veio ao estado após um pedido do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que administra a APA Costa dos Corais, e do Instituto Biota.

Segundo o Instituto Biota, além da pintura dos painéis o artista também está realizando oficinas com jovens da comunidade. “Serão mais de 500m² de murais para embelezar nosso Estado, trazendo sensibilização ambiental e cultura para a comunidade”, disse Bruno Stefanis, presidente do Instituto Biota.

“A partir do momento em que eu comecei a dedicar minha arte a fazer murais, o pessoal do ICMBio e o pessoal do Biota de Maceió entraram em contato para a gente fazer um painel em nome da preservação do peixe-boi e em prol dos jovens da comunidade, para ensinar a valorização da preservação do local, do conhecimento de risco das espécies e aí vamos fazer esse painel aqui, na base do ICMBio”, afirma Alexandre Huber.

A expectativa, segundo o artista, é que a conclusão dos painéis ocorra até amanhã (1º). “Nós prevemos que até quinta-feira ele esteja pronto. Começamos na segunda-feira e a proposta é fazer 84 metros de comprimento por 3 de altura. O plano é fazer os três metros de altura durante todo o percurso da ponte”, diz.

O jovem Alan Carlos, de 20 anos, é morador do município da Barra de Santo Antônio e foi um dos que vêm participando das oficinas de pintura de Huber. Ele afirma que a experiência tem sido extremamente positiva.

“Participamos do projeto jovens protagonistas que algumas oficinas tivemos artes, mas deste  porte, arte assim grande é a primeira. Isso é bom porque estamos aprendendo muitas coisas, coisas novas e estou descobrindo que muitas coisas que pensávamos ser simples, não são. Mesmo assim a arte pode ser simples e muito divertida ao mesmo tempo e nós ainda trocamos uma ideia com ele [Alexandre]”, diz o jovem.

Huber é classificado no hall de artistas defensores do Oceanos no mundo. Segundo informações do artista plástico, no ano de 2015, ele recebeu a chancela internacional pela entidade americana Ocean Artists Society e foi incluído no hall dos maiores artistas defensores dos Oceanos do mundo.

A ideia de envolver arte e defesa do meio ambiente surgiu há mais de uma década e o artista realizou trabalhos em todo o país e a perspectiva é de pintar 100 painéis no Brasil.

“O projeto nasceu em 2009 e de lá para cá comecei a dedicar minha arte para instituições, entidades que protegem a vida marinha em todo o país. Se você for para o Sudeste, tem o pessoal que protege as baleias francas. se você for para São Paulo, Rio de Janeiro, tem o pessoal que protege as toninhas, as tartarugas marinhas. No Nordeste nós falamos da preservação do peixe-boi que sofre um grande risco de extinção”, diz Huber.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH