Cidades

28 de setembro de 2020 20:29

Ainda não há respostas para os peixes mortos encontrados na Barra de Santo Antônio

Na quinta-feira, pescadores encontraram pelo menos meia tonelada de peixe de cinco espécies diferentes, que se espalhavam por mais de três quilômetros de praia

↑ Foto: Divulgação

Pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas estão investigando desde a última sexta-feira, 26, a causa da morte de toneladas de peixes encontrados na foz do Rio Santo Antônio, na parte da Ilha da Croa, na Barra de Santo. Eles coletaram amostras da água para análise, porque segundo relato dos pescadores, a região sofre com o lançamento de esgotos, lixo, tiborna e outros causadores de poluição provocados pela ação humana.

Na quinta-feira, 24, pescadores encontraram pelo menos meia tonelada de peixe de cinco espécies diferentes, que se espalhavam por mais de três quilômetros de praia, sobretudo na foz do rio, na Ilha da Croa. Os peixes mortos, segundo os pescadores são da espécie manjuba ou aranque e os demais são pilombeta, bagre, xerete, carabepa e arraias. No dia seguinte mais peixes foram encontrados. Os pesquisadores do Peld (Pesquisa Ecológica de Longa Duração da Costa dos Corais) da UFAL, que monitora a situação de dez rios da região Norte de Alagoas foram acionados.

A primeira análise foi de que a mortandade tem característica tóxica. Mas ainda assim resolveram estudar mais profundamente para saber qual material foi derramado nos rios da região. O laudo das amostras deverá ser concluído em até 15 dias.

Fonte: Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH