Cidades

11 de agosto de 2020 19:11

Durante a pandemia, MST já doou 50 toneladas de alimentos saudáveis em AL

Iniciativas de solidariedade do Movimento no estado mobilizaram centenas de camponeses e camponesas

↑ Em Alagoas, as doações do MST levaram comida sem veneno para diversos bairros de Maceió e outras cidades do interior do estado (Foto: Assessoria)

“Esse volume de doação de alimentos reafirma a nossa posição na defesa da vida do povo e a importância e papel da Reforma Agrária Popular nessa luta”. A afirmação é de Débora Nunes, da coordenação nacional do MST, ao fazer referência as 50 toneladas de alimentos doados pelo MST no estado de Alagoas nos últimos meses. Em todo o Brasil o Movimento já realizou a doação de 2800 toneladas.

As iniciativas de solidariedade do Movimento em Alagoas mobilizaram centenas de camponeses e camponesas nos territórios de Reforma Agrária organizados pelo MST no estado.

Segundo Débora Nunes, que também integra o Setor de Produção, Cooperação e Meio Ambiente do MST, as ações de solidariedade ocuparam todo o país, em especial os bairros da periferia e grandes centros urbanos, como uma resposta concreta do Movimento no enfrentamento à fome e a miséria crescente, agravados pela crise sanitária da Covid-19.

“Em cada periferia que chegou um alimento dos Sem Terra, a população também entendeu a importância da luta e da organização. Enquanto o governo não dava respostas firmes para a sociedade, foram as trabalhadoras e os trabalhadores rurais que, por muitas vezes, levaram a esperança e a felicidade da mesa cheia no fim do dia de muitas famílias”, destacou.

Em Alagoas, as doações do MST levaram comida sem veneno para diversos bairros de Maceió, além das cidades de Santana do Ipanema, Arapiraca, Piranhas e Atalaia. Ainda como parte das ações do Movimento, a solidariedade também chegou às comunidades indígenas em Porto Real do Colégio, junto aos povos Pankariri e Kariri Xocó.

Somente em Maceió foram mais de 10 bairros que receberam doações dos camponeses e camponesas, articuladas através de diversas iniciativas de organização comunitária nas periferias da capital alagoana.

“Nossas ações não são caridade, nem a solidariedade que se propaga nos comerciais de televisão. Aqui construímos aliança direta entre aqueles que lutam no campo, com aqueles que resistem na cidade. Do povo com o povo”, compartilhou Nunes.

Solidariedade que fortalece

Na Zona Sul de Maceió, o bairro da Levada foi um dos muitos que recebeu doações vindas dos acampamentos e assentamentos da Reforma Agrária. Moradora do bairro há cinco anos, Lúcia Ribeiro destacou a importância da contribuição do Movimento na comunidade.

“As doações contribuíram muito com todos nós do bairro. Num momento muito difícil que estamos vivendo, poder contar com essas doações foi bastante importante, não só pra mim, mas para todos do bairro”, explicou.

Assim como Lúcia, diversas outras famílias puderam receber em casa um pouco de macaxeira, batata, abóbora, feijão… Tudo vindo direto da roça.

Além da doação de alimentos, o MST construiu ainda em Alagoas mutirões de confecção de máscaras para distribuição nas unidades de saúde e, no último dia 25, distribuiu centenas de quentinhas aos entregadores e entregadoras por aplicativo em Maceió, ação realizada no dia em que a categoria convocou sua segunda paralisação contra a precarização de seus serviços.

          

Fonte: Ascom MST

Comentários

MAIS NO TH