Cidades

1 de agosto de 2020 18:51

Arapiraquinhas agonizam sem apoio do poder público

Biblioteca está fechada e completamente abandonada

As Bibliotecas Públicas Digitais de Bairros, as Arapiraquinhas, já foram até referendadas pela Fundação Bil e Melinda Gates, com sede nos Estados Unidos.

Contudo, há mais de três anos que os espaços de leitura e pesquisa para os estudantes da Capital do Agreste agonizam pela falta de investimentos e da insensibilidade da Prefeitura de Arapiraca.

Um exemplo disso é a Biblioteca Digital Professor Erasmo Soares, localizada no bairro Primavera, um dos mais populosos da cidade.


O prédio está totalmente sucateado, com vidraças quebradas, móveis, livros e computadores retirados e o playground tomado pela ferrugem, o que pode provocar acidentes e graves riscos à saúde das crianças que insistirem em utilizar o espaço.

Construídas na gestão do prefeito Luciano Barbosa, entre os anos de 2008 e 2012, as Arapiraquinhas eram dotadas de salas totalmente climatizadas e com modernos computadores para consultas, pesquisas e aulas informática, bem como um acervo com mais de três mil livros e revistas.

Mas com o passar dos anos, os equipamentos de incentivo à leitura e pesquisa para estudantes da rede municipal de ensino foram colocados à margem das prioridades da atual gestão pública.

No ano de 2018, o site oficial da Prefeitura de Arapiraca informava que a gestão do prefeito Rogério Teófilo havia dado início aos trabalhos de manutenção predial.

A proposta contemplaria, segundo a notícia, grande parte dos prédios da rede municipal, a exemplo de escolas, creches, anexos e as Arapiraquinhas.

Ainda na matéria publicada no site oficial da prefeitura, deveriam ser investidos recursos da ordem de R$ 13 milhões.

Porém, pelo que revelam as imagens registradas no final da tarde desta sexta-feira (31), apenas a cobertura do prédio recebeu reparos, enquanto a estrutura permanece abandonada e à espera de novas intervenções.

Cobranças

Há mais de um ano, os vereadores Rogério Nezinho (MDB), Fábio Henrique (MDB), Léo Saturnino (MDB) e Moisés Machado (PSDB) defenderam a recuperação das bibliotecas digitais de bairros.

Enquanto isso, as famílias e as crianças que residem no bairro continuam esquecidas, à espera de que um dia as Arapiraquinhas voltem a funcionar.

Fonte: Davi Salsa

Comentários

MAIS NO TH