Cidades

31 de julho de 2020 16:55

Funcionários dos Correios decidem por greve na próxima terça-feira

Assembleia acontece na Praça Centenário, localizada na Avenida Fernandes Lima, no bairro do Farol, a partir das 19h

↑ Trabalhadores dos Correios em Alagoas em greve (Foto: Divulgação/Imagem ilustrativa)

Planos de privatização do governo Jair Bolsonaro e corte de benefícios, como férias e licença maternidade estão entre os principais pontos da mobilização dos funcionários dos Correios, que decidem por greve a partir da próxima terça-feira, dia 4, durante uma Assembleia Geral Extraordinária Nacional.

Na capital alagoana, a assembleia acontece na Praça Centenário, localizada na Avenida Fernandes Lima, no bairro do Farol, a partir das 19h. A informação foi confirmada pelo presidente Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos em Alagoas (Sintect/AL), Alysson Guerreiro.

“Na realidade tínhamos uma norma coletiva julgada no ano passado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e que valeria por 2 anos, infelizmente, a gestão da empresa recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) e o ministro Dias Tofolli concedeu uma liminar suspendendo o prazo da norma coletiva. Desde então a empresa vem propondo a retirada de todos os nossos direitos”, frisou o sindicalista.

Ele avisou que nesta sexta-feira (31) ocorreu uma reunião com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) para definir a data da paralisaão, que foi aprovada por unanimidade.

Conforme Guerreiro, esses direitos foram conquistados durante 30 anos e que muitas vezes abriu-se mão de aumento em virtude deles. “Somos a estatal que tem o menor salário de todas, não paramos em nenhum momento nessa pandemia, a empresa vem apresentando lucro, e o que a empresa vem nos apresentando é retirada de direitos e desvalorização do nosso trabalho”, criticou.

O líder da categoria el Alagoas concluiu dizendo que o ‘jogo’ parece de cartas marcadas para reduzir os ativos trabalhista e privatizar a empresa. “Sabemos que a multinacional Amazon tem interesse em comprar os Correios, essa empresa tem como um dos sócios, o banco BTG Pactual, fundado pelo senhor Paulo Guedes”.

 

Fonte: Tribuna Hoje / Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH