Cidades

13 de julho de 2020 11:03

Moema Batista: Primeira mulher eleita presidente da ABRAT recebe homenagens

Advogada morreu neste domingo (12) no Rio de Janeiro, onde residia e estava hospitalizada  

↑ O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) manifestou profundo pesar pela morte, da ex-vice-presidente Moema Baptista (Foto: Assessoria)

De sorriso largo e aberto. Assim foi lembrada a primeira mulher a presidir a Associação Brasileira de Advogados Trabalhista (Abrat), no biênio 1989/1991, Moema Baptista, de 77 anos, que morreu neste domingo (12), no Rio de Janeiro.

“Nos deixa numa tristeza sem limites”, frisou o advogado trabalhista Jefferson Calaça, que é alagoano radicado em Recife, e foi também presidente da Abrat.

Calaça conviveu um bom período com a advogada, ressaltando que o sorriso dela era a sua marca registrada. “Moema tinha um sorriso largo, aberto, e o afeto entre todos que com ela conviviam, era algo sempre presente”, ressaltou.

“Moema foi embora e nos deixou sem palavras, no meio desta terrível pandemia, onde sequer podemos dela nos despedir. Ela representa um pouco da história de cada um de nós e deixa uma lacuna muito grande no seio daqueles que lutam por uma sociedade justa e igualitária”, destacou o advogado trabalhista.

“Tive a honra, o prazer e o privilégio de conviver com ela e me senti orgulhoso por ter sido a voz da sua última homenagem nacional, na entrega a ela da medalha José Martins Catharino em dezembro/2019 no Rio de Janeiro”, lembrou.

O advogado trabalhista Jefferson Calaça salientou que Moema deixou a terra sem avisar, porque a morte sempre chega de surpresa e da maneira mais cruel que se possa imaginar, no entanto, ninguém consegue para ela se preparar. “Moema Presente!”, finalizou.

Moema Baptista participou de todos os Congressos Nacionais da Advocacia Trabalhista e sempre foi destaque em todos eles. Ano passado, Moema foi homenageada em Caruaru, Recife, e no Rio de Janeiro, oportunidade em que recebeu a maior condecoração da ABRAT – Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas, a Medalha José Martins Catharino.

Moema Baptista com o advogado Luciano Almeida durante condecoração pela Abrat (Foto: Ascom)

Para o advogado trabalhista Luciano Almeida, Moema representava o associativismo, o querer bem ao próximo, e, sobretudo, ao coletivo. Tinha um sorriso e um abraço que acolhia a todos que estavam ao redor dela.

“Sempre que podia reverenciava Cachoeira do Itapemirim. Estará sempre em nossas mentes e corações, deixa um vazio na advocacia trabalhista, mas, especialmente aos amigos, que tinham nela sempre uma palavra de conforto, força, e daquilo que ela mais exalava, o afeto”, declarou.

Moema ingressou no Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) em 1993 e fazia parte da Comissão de Direito do Trabalho.

O corpo da advogada será cremado nesta terça-feira (14) e as cinzas serão levadas para Cachoeira de Itapemirim (ES), sua terra natal.

Fonte: Tribuna Hoje / Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH