Cidades

4 de julho de 2020 18:53

Artista popular produz cordel em inglês

Cartuxo Cordelista tem mais de 100 trabalhos publicados

Raiz nordestina e popularizada em todo o Brasil, a Literatura de Cordel ganha nova dimensão no ambiente digital e rompe fronteiras com publicações até em outras línguas.

Exemplo disso é a mais recente publicação do escritor arapiraquense Valdemir Ferreira, popularmente conhecido como “Cartuxo Cordelista”, que lançou neste mês de junho o livro “Precaução é preciso”, com tradução para a língua inglesa com o título “Topics Basics About Pedofilia”.

Impresso em folhetos de papel branco, o trabalho é direcionado para o público infantil, com dicas importantes para evitar abusos contras crianças.

Com mais de 100 livros e livretos publicados, Cartuxo Cordelista faz questão de salientar que o seu nome artístico é escrito com xis, contrapondo-se à peça do armamento bélico.

Atualmente, o ex-bancário mantém a tradição do cordel antigo, mas está inovando o seu trabalho com temas ligados à ecologia, educação para o trânsito e no combate à violência infanto-juvenil.

Dessa vez, o artista popular de Arapiraca decidiu criar um cordel traduzido para a língua inglesa e que pretende difundir nas escolas públicas e particulares da cidade, depois da pandemia da Covid-19.

“Nesse período de quarentena, a gente fica mais sensível com toda essa situação da nossa sociedade, e foi então que decidi fazer esse trabalho com tradução para o inglês”, conta.

Conhecido em toda a região como Cartuxo Cordelista, o artista popular já produziu mais de 100 títulos autorais, entre livros, livretos, cordéis, contos e anáforas, sendo uma destas com mais de 30 mil versos.

Vida difícil

Antes de começar a trabalhar como bancário, o escritor lembra que, aos 11 anos de idade, vendeu picolés nas ruas da cidade e, aos 13 anos, entregava botijões de gás para ganhar o próprio dinheiro.

“A vida me ensinou muitas coisas, principalmente a importância da educação para o futuro das pessoas”, relata o artista popular, que produziu, entre outros trabalhos em cordel, É doloroso ver, Nas voltas que o mundo dá, A banda dos bichos, A boca, A bicharada eu vi, além de poemas em cordel e o livro o Trem da Salvação, publicado em 2019.

O maior orgulho de Cartuxo Cordelista foi um convite que recebeu para participar da 9ª edição da Flipoços, a Feira Literária de Poços de Caldas, em Minas Gerais, no ano de 2014.

Ele foi o único alagoano e também o único representante nordestino na feira literária, ministrando palestras e oficinas para crianças, adolescentes, idosos, cadeirantes e pessoas com deficiência visual.

“Meu maior objetivo é investir na literatura de cordel, ensinando os jovens a valorizar o conhecimento da região. Quero ver os jovens lendo coisas boas, ao invés de assistir a programas televisivos que deturpam os valores mais simples e verdadeiros da nossa sociedade”, completou.

Fonte: Davi Salsa Sucursal Arapiraca

Comentários

MAIS NO TH