Cidades

3 de julho de 2020 12:17

Fase laranja exige todos os cuidados básicos de proteção individual e coletiva

População deve evitar aglomerações e lavar as mãos sempre que possível; uso de máscara continua obrigatório

↑ O uso de máscara segue sendo obrigatório para quem precisar sair de casa (Foto: Felipe Brasil)

Maceió entra na fase laranja do Distanciamento Social Controlado a partir desta sexta-feira (03). A segunda fase segue a evolução das diretrizes estabelecidas pela Matriz de Risco do Estado e autoriza o funcionamento de algumas atividades, com capacidade reduzida, consideradas não essenciais: salões de beleza e barbearia, lojas ou estabelecimentos de rua com até 400m2, templos e igrejas. Por outro lado, para garantir que Maceió se mantenha num quadro evolutivo nas próximas semanas, é imprescindível a participação da população, que deve continuar seguindo todas as medidas de proteção individual e coletiva adotadas anteriormente, na fase vermelha.

O uso de máscara segue sendo obrigatório para todos os cidadãos que tiverem que sair de casa para cumprir necessidades primárias, como ir ao supermercado, ao banco, a farmácias, e também no transporte coletivo, que se transforma num vetor de contaminação pela quantidade de pessoas juntas. Os olhos, boca e nariz são portas de entrada e de saída do vírus e, por isso, deve-se evitar pegar na máscara pelo lado externo e tocar o rosto.

Outra recomendação é ter consigo pelo menos uma máscara reserva, para realizar a troca a cada duas horas, e lembrar sempre de guardar a máscara usada em um saco até chegar em casa e poder lavá-la com água e sabão. A população deve ter em mente que vesti-la não significa um “passe livre” para descumprir as medidas de distanciamento social.

“Na fase laranja, os alagoanos deverão manter o uso de máscaras de tecido, duplamente faceadas, para evitar a propagação de gotículas do nariz e da boca. Lembrando que o uso da máscara deve ser correto, com elásticos ou tiras que amarram de maneira paralela, dispostos no pavilhão auricular, e ela deve estar acima do nariz e abaixo do queixo. Dessa forma, a máscara vai conter toda a secreção respiratória da via aérea”, explica Sarah Dominique, médica infectologista e gerente médica do Hospital da Mulher.

Também na fase laranja recomenda-se o deslocamento apenas em situações indispensáveis. Caso precise sair de casa, o cidadão deve respeitar o distanciamento social de, pelo menos, 2 metros de distância, assim como evitar abraços e aglomerações.

“É necessário manter, ao máximo, o distanciamento. Com a reabertura de alguns segmentos do comércio, como salões de beleza e lugares de cultos religiosos, que vão ter o atendimento e o funcionamento com a capacidade reduzida, é necessário que exista a marcação de distanciamento entre as pessoas. Caso o cidadão chegue a um estabelecimento que não tenha essa marca em assentos ou bancos, ele mesmo deve procurar manter o distanciamento, de aproximadamente 2 metros, que já vem sendo referenciado ao longo dos últimos três meses. Outro ponto preocupante é a aglomeração nos transportes públicos: deve-se haver respeito também pelo dimensionamento de pessoas sentadas a fim de evitar propagação de partículas virais pela saliva, pelo toque, etc.”, explica.

Por fim, a infectologista alerta que toda a população deve manter os hábitos de higienização, como lavar as mãos com água e sabão e, se possível, ter em mãos um frasco com álcool em gel 70%. “Deveremos sempre ter na bolsa, no bolso ou na mochila, um frasco de álcool em gel para higienizar as mãos, porque com a reabertura do comércio vamos ter, com certeza e com maior frequência, contato com áreas de toque comum e o coronavírus pode ser levado até a face, cabelo, vestimentas”, conclui.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH