Cidades

4 de junho de 2020 18:24

Em AL, há 20% a mais de mulheres que realizam afazeres domésticos em relação aos homens

Atividades domésticas se intensificaram no mundo todo com a pandemia do novo coronavírus

↑ Mulheres trabalham mais que os homens nas tarefas domésticas (Foto: Felipe Castilho / Ilustração)

Preparar as refeições, limpar ou arrumar o domicílio, cuidar dos animais e fazer pequenos reparos ou manutenção em casa ou nos eletrodomésticos. Essas e outras atividades domésticas se intensificaram no mundo todo com a pandemia do novo coronavírus e viraram pauta quase obrigatória nas conversas. E o que os dados divulgados nesta quinta-feira (04) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam é uma diferença acentuada na participação de homens e mulheres alagoanos nos afazeres domésticos em 2019.

No ano passado, 79,3% do total de 2,65 milhões de pessoas de 14 anos ou mais de idade em Alagoas tinha realizado atividades de afazeres domésticos no próprio domicílio ou em domicílio de parente. Porém, enquanto 88,6% das mulheres realizaram alguma atividade doméstica, esta proporção era de 68,6% entre os homens, uma diferença de 20 pontos percentuais. Essa disparidade é uma característica forte do nordeste (média de 21,4%), que puxa a média nacional (13,5%) para cima. Na região, o estado alagoano tem uma das menores taxas desse quesito, atrás somente de Piauí e Bahia.

Os dados são do suplemento “Outras formas de trabalho”, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). Esse módulo especial se aprofunda nos tipos de trabalho não precificados ou tratados como parte do Produto Interno Bruto (PIB), abrangendo quatro temas: afazeres domésticos, cuidado de pessoas, trabalho voluntário e produção para o próprio consumo.

Em uma perspectiva comparativa dos últimos anos, observa-se que a diferença entre homens e mulheres na realização dos afazeres domésticos vem diminuindo, saindo de 29,2% em 2016 para 25% em 2017, 21,4% em 2018 e, por fim, atingindo 20% em 2019.

Atividades ligadas à alimentação, limpeza de roupas e arrumação do domicílio concentradas nas mulheres

Para facilitar o entendimento do que é afazer doméstico para a pesquisa, são usadas questões que descrevem as atividades com resposta “sim” e “não” para cada item listado. Contudo, isso é feito quando perguntado sobre a realização de afazeres domésticos no próprio domicílio, excluindo, assim, a opção do domicílio de parente.

Quando se analisa o tipo de afazer por sexo, os resultados mostram que as atividades ligadas à alimentação, limpeza de roupas e arrumação do domicílio, bem como a limpeza do domicílio, garagem ou jardim estavam concentradas nas mulheres. A única atividade em que os homens tiveram percentual de realização maior que o das mulheres foi no de pequenos reparos ou manutenção do domicílio, do automóvel, eletrodomésticos ou outros equipamentos.

Homens mais jovens realizavam menos afazeres domésticos

O enfoque sob o critério grupos de idade dividiu homens e mulheres em três faixas: 14 a 24 anos, 25 a 49 anos e 50 anos ou mais. O que os dados sob esse prisma revelaram é que a taxa dos homens de 14 a 24 anos de idade que realizaram afazeres domésticos era de 57,7%, enquanto a das mulheres era de 84,7%, uma diferença de 27 pontos percentuais, que vai reduzindo conforme a idade aumenta, alcançando 13,1% no grupo dos 50 anos ou mais.

Esses dados ganham força quando confrontados com o critério da condição no domicílio, indicando que filhos e enteados homens de 14 a 24 anos têm menores taxas de realização em relação às filhas e enteadas.

Quanto mais alto o nível de instrução, maior é a realização de afazer doméstico

De modo geral, o estudo também revela que os níveis de instrução “sem instrução e fundamental incompleto” e “fundamental completo e médio incompleto” apresentam as menores taxas de realização de afazer doméstico (76,4% e 78,2%, respectivamente). Por sua vez, os níveis de “médio completo e superior incompleto” e “superior completo” correspondem aos maiores índices (84,4% e 82,7%). Isso se deve, sobretudo, à maior participação dos homens conforme o nível de instrução vai aumentando, atingindo o ponto mais alto entre eles na categoria de “superior completo”.

Mulher preta é quem mais realiza atividade doméstica

Segundo os critérios de cor ou raça adotado pelo IBGE, as mulheres pretas (93,7%) realizam mais afazeres domésticos que as pardas e brancas (88,9% e 86,8%, respectivamente). Entre os homens, os pretos lideraram a lista (74,9%) à frente dos brancos e pardos (68,8% e 68,1%, respectivamente).

Fonte: Ascom IBGE/AL

Comentários

MAIS NO TH