Cidades

3 de abril de 2020 19:05

Defesa Civil alerta para risco de terceira enchente em Santana do Ipanema

Moradores estão sendo alertados para deixar áreas de risco

↑ Cidade foi atingida pela maior enchente de sua história Foto: Maltanet (cortesia)

O comandante do 9º Grupamento de Bombeiros Militar de Santana do Ipanema, tenente-coronel Francisco Leopardi, e a coordenação da Defesa Civil local emitiram um comunicado, no fim da tarde desta sexta-feira (3), para alertar os moradores do risco iminente de uma terceira enchente no município sertanejo.

O aviso também serve para as famílias que residem às margens do Rio Ipanema nas cidades de Poço das Trincheiras e Batalha.

Em contato com a Defesa Civil de Pernambuco, Francisco Leopardi revelou que há um risco de rompimento de barragem na cidade de Águas Belas, o que pode afetar novamente as famílias que vivem às margens do Rio Ipanema do lado alagoano.

Por conta disso, o Corpo de Bombeiros está aconselhando a retirada urgente de moradores da área de risco de inundação.

Há duas semanas que o município de Santana do Ipanema está castigado pelas fortes chuvas que caem na divisa entre os estados de Pernambuco e Alagoas.

No último fim de semana, os bombeiros conseguiram emitir um sinal de alerta e salvar a vida de mais de 300 famílias que foram retiradas em tempo, antes de a cidade ser atingida pela maior enchente de sua história.

Corpo de Bombeiros e Defesa Civil Municipal realizam acompanhamento constante do nível das águas do Rio Ipanema, orientando a comunidade local e agindo rapidamente no salvamento dos moradores das áreas de maior risco de inundação.

Na madrugada da última segunda-feira (30), o rio chegou à marca de nove metros e provocou inundação em dezenas de casas e parte do centro de Santana do Ipanema, derrubando postes de iluminação e deixando um rastro de lama e destruição na cidade.

A população ficou mais de seis horas sem energia elétrica e sinal de telefonia. As duas enchentes não provocaram mortes, mas já deixaram mais de 200 famílias desabrigadas e que estão alojadas e assistidas com roupas, alimentos e produtos de higiene e no Centro Bíblico e no prédio da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal).

Fonte: Tribuna Hoje / Davi Salsa

Comentários

MAIS NO TH