Cidades

31 de março de 2020 08:28

Mais blocos no Jardim Acácia apresentam riscos

Segundo morador, em três meses, rachaduras no bloco 10 evoluíram rapidamente

↑ Moradores denunciam rachaduras em blocos fora da área de demolição (Foto: Cortesia)

O processo de rachaduras continua se intensificando no bairro do Pinheiro. Segundo relato de moradores outros blocos do Residencial Jardim Acácia têm apresentado problemas nas estruturas, mesmo aqueles que não estão classificados na área que será demolida inicialmente.

Segundo avaliação da Defesa Civil de Maceió, quatro blocos do residencial precisam passar por demolição em caráter prioritário. São os blocos 7, 8, 9 e 15, onde as rachaduras comprometem severamente a estrutura e podem desabar a qualquer momento. Os quatro blocos serão demolidos pela Defesa Civil no dia 7 de abril.

No entanto, o representante dos moradores Márcio da Rocha diz que outros blocos vêm apresentando problemas. Márcio é responsável pelo monitoramento e repasse das informações do Jardim Acácia à Defesa Civil. Nesta segunda-feira (30), ele identificou rachaduras num outro bloco, o bloco 10, que até então não tinha nenhum sinal de risco.

“Quando eu passei por lá, de lado eu olhei e até pensei que fossem fios. Quando me aproximei constatei que ele estava escorregando, igual ao bloco 15. Aí já passei para a Defesa Civil. Esse bloco não estava classificado como de risco, o bloco 16 não estava e agora está abrindo no meio, a falha está baixando bastante, a falha passa pelo bloco 9 e vai pegando os demais”, detalha.

Márcio destaca que a Defesa Civil foi acionada e deve inspecionar o bloco 10 para verificar a situação. Além deste, e dos quatro que serão demolidos, outros dois estão em risco de desabamento. “São sete blocos ao todo, quatro que serão demolidos, mas se formos contar com os blocos que estão piorando, o 14, 16 e a agora o 10, são ao todo sete blocos”.

Por meio de assessoria de comunicação, a Defesa Civil de Maceió informou que recebeu um chamado para avaliar. Segundo a pasta municipal, o bloco será incluído no cronograma de revistoria, mas não há data para que um novo laudo seja disponibilizado.

INDENIZAÇÕES

Márcio afirma que os proprietários aguardam que as indenizações saiam antes que os prédios venham abaixo. Até agora, mais de um mês após o início das negociações com a Braskem, nenhuma proposta de valor das indenizações foi entregue. “Estamos lutando para que a demolição aconteça depois que recebermos a proposta de indenização. Porque nem tem como avaliar, porque os blocos estão em colapso. Estou batalhando para conseguir algo. A Braskem disse que ia chamar, pediu documentação, mas até agora nada, valores nada”.

Proprietários esperam proposta antes de demolição

 

Com a impossibilidade da avaliação, eles esperam que a empresa realize ao menos o envio das propostas antes do dia 7 de abril, data prevista para início das demolições. A prioridade, segundo Márcio, seria dada aos moradores dos prédios que estão em colapso. “Eu sou do primeiro lote, além de ser do primeiro lote o diferencial é que esses blocos precisam ser demolidos antes que caiam na cabeça de alguém. Então esses blocos ficaram à frente até mesmo de quem era do primeiro lote. Com toda essa prioridade ainda não foi passado nada. Eu mesmo, entreguei minha documentação no dia 27 de fevereiro, tem mais de um mês e ainda não tenho avaliação ou proposta de valor.”

Procurada, a Braskem afirma que deve “avançar” nas propostas esta semana.

“A avaliação dos imóveis a serem desocupados nas áreas do acordo assinado entre as autoridades considera o valor de mercado antes de março de 2018, ou seja, antes dos eventos geológicos que afetaram a região. O processo de compensação financeira e apoio à realocação segue um fluxo acordado com as defensorias públicas do Estado e da União e com os ministérios públicos Estadual e Federal.  Nosso compromisso com as autoridades é dar prioridade a esses moradores do Jardim Acácia e acelerar ainda mais o processo de análise dos documentos. A quase totalidade já foi contatada pela Central dos Moradores. O objetivo é avançar na apresentação das propostas nesta semana.”

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH