Cidades

21 de fevereiro de 2020 16:33

Prefeitura de Maceió reforça limpeza e planeja ações no Riacho Salgadinho

Pontos de contenção com estacas de ferro e telas de aço deverão evitar que resíduos volumosos cheguem à Praia da Avenida

↑ Na foz do Riacho Salgadinho, havia a previsão de serem retiradas pelo menos 200 toneladas de resíduos (Foto: Pei Fon / Secom Maceió)

A capital alagoana registrou na quinta-feira (20) um volume de chuva incomum a este período do ano. De acordo com o monitoramento da Defesa Civil de Maceió, até a noite de quinta, havia chovido 68 milímetros durante nas últimas 12 horas, na região do Pontal da Barra, e 38 milímetros no Benedito Bentes. A média prevista para o mês de fevereiro era de 72,9 milímetros.

Devido ao alto volume de chuva, foram registrados pontos de alagamentos, quedas de árvores e o acúmulo de resíduos descartados inadequadamente pela população. Para atender as demandas, a Prefeitura de Maceió reforçou os serviços de limpeza em pontos críticos, a exemplo da foz do Riacho Salgadinho, de onde havia a previsão de serem retiradas pelo menos 200 toneladas de resíduos, e no canal que deságua na praia de Cruz das Almas.

Responsável pela gestão da limpeza urbana de Maceió, a Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes) mobilizou equipes conforme orientação da Defesa Civil aos órgãos de serviços da Prefeitura, tendo em vista a previsão de chuva de volume moderado a forte. O trabalho da Sudes começou ainda ontem, com o recolhimento de toneladas de resíduos no Salgadinho e em Cruz das Almas, e com a desobstrução de vias onde houve o tombamento de árvores.

Titular da Sudes, Gustavo Acioli Torres acompanhou o trabalho da equipe nesta manhã e falou sobre ações que estão em planejamento para a extensão do Salgadinho. “Sabemos que esta é uma área crítica, que recebe toneladas de resíduos que escoam dos canais onde a população faz o descarte irregular. De maneira paliativa, enquanto projetos de maior dimensão estão sendo viabilizados pela gestão, iremos instalar barreiras de contenção feitas com estacas de ferro e com tela alambrado de aço galvanizado, que devem segurar os resíduos em pontos do riacho para recolhimento, evitando que cheguem até a foz”, explicou o gestor.

As estacas são de dormentes de trilhos cedidos pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), por meio de parceria com a Sudes. O objetivo neste caso, de acordo com Torres, é criar contenção para os resíduos volumosos, já que é comum registrar móveis e eletrodomésticos, por exemplo, escoando pelo Salgadinho em decorrência do descarte irregular realizado pela população. Já as telas de aço devem segurar os resíduos, como recicláveis, para que as equipes da Sudes recolham o maior volume possível de material antes que chegue à foz. O superintendente esclareceu que a instalação deve acontecer até o mês de março, antes do início da quadra chuvosa.

Fonte: Ascom Sudes / Texto: Lucas Alcântara

Comentários

MAIS NO TH