Cidades

21 de janeiro de 2020 09:05

Exposição Deslimites traz olhar crítico para bairros afetados por rachaduras

Curadora do evento destaca lado humano das histórias captadas pelas lentes e sentimentos dos artistas

↑ Fabiana Xavier conta que os participantes puderam sentir de perto o drama dos moradores do Pinheiro e Mutange (Foto: Jonathan Canuto)

O TH Entrevista desta semana conversou com Fabiana Xavier, curadora da exposição Deslimites, que apresenta os trabalhos de participantes de duas oficinas de fotografia promovidas em Maceió pelo Sesc Alagoas, como parte da ação educativa da exposição Territórios e Fronteiras que ocupou a Galeria Sesc Centro de agosto a setembro de 2019. O evento terá abertura na próxima sexta-feira (24), às 19h, na Galeria Sesc Centro, e a visitação acontece da próxima segunda-feira (27) até o dia 13 março, de segunda à sexta, das 12h às 18h.

Fabiana conta que os artistas participantes puderam sentir de perto o drama dos bairros Pinheiro e Mutange, que estão sendo desocupados por conta da instabilidade do solo. “O Pinheiro está praticamente deserto e foi gratificante ouvir as histórias de quem ainda reside nos bairros. Pudemos enxergar o lado humano da história e compartilhar através da fotografia o que sentimos”, explicou.

As oficinas ministradas por Fran Favero e Leandro Pereira da Costa, ambos artistas visuais integrantes da exposição Territórios e Fronteiras, foram direcionadas para as questões do território e da cidade, promovendo um olhar para o entorno e para os processos poéticos, éticos e políticos que podem resultar de uma prática artística e fotográfica voltada para um lugar específico e para suas comunidades.

Com abordagem prática e teórica, as duas oficinas se complementaram e resultaram em um corpo de trabalho potente a partir do qual a exposição Deslimites é proposta.

Durante as oficinas, os participantes percorreram as rachaduras que cortam e ameaçam os bairros do Pinheiro e do Mutange, em Maceió. Por meio do compartilhamento de memórias, de conversas com moradores atuais ou removidos dos bairros atingidos e da proposição de dispositivos poéticos, os artistas produziram visualidades, narrativas e visibilidades.

Composta por fotografias e cartazes em formato de lambe-lambe de Amanda Bambu, Dafhine Alves, Iris Dani, Josian Paulino, Karol Corado, Marina Milito, Sandra Januario e Thalita Melo, a exposição Deslimites convida a um olhar crítico e sensível para as questões urgentes que atingem esses lugares, propondo reflexões ainda mais amplas sobre a cidade e suas fronteiras explícitas e implícitas.

Assista à entrevista na íntegra:

 

Fonte: Tribuna Independente

Comentários