Cidades

19 de janeiro de 2020 15:10

Jaraguá recebe muita cultura durante Batucada Literária

Evento durou todo o sábado

↑ Foto: Secom Maceió

Jaraguá vive e respira muita cultura. A Rua Sá e Albuquerque recebeu centenas de pessoas neste sábado (18) para o segundo e último dia da Batucada Literária. O evento, que é uma parceria da Prefeitura de Maceió com a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), abre a programação cultural de verão do bairro, que receberá outros eventos até o carnaval.

O evento durou todo o sábado, começando às 10h, com feira e lançamento de livros, apresentações culturais, palestras e oficinas. Houve, também, mais uma edição do Giro dos Folguedos, onde diversos grupos da cultura alagoana se apresentaram. Como é o caso do Afoxé Povo de Exu, do qual Vanessa do Nascimento faz parte.

“Todos os anos que acontece o Giro a gente participa, pois entendemos que é muito importante importante. É muito bom e gratificante para os grupos culturais que existem em Maceió. Isso valoriza a cultura dentro do estado, do país e do mundo. Mostra a nossa força”, comemorou Vanessa.

A força da cultura, como diz a participante, atraiu maceioenses e turistas que aproveitaram a Batucada Literária. A educadora física Maria de Lurdes veio de São Paulo e se encantou. “Eu não conhecia a expressão artística de Maceió, somente pelos livros e vídeos. Ver pessoalmente é incrível. A cultura aqui é riquíssima. Esse evento é maravilhoso. E, agora, digo a todos: venham conhecer Maceió”, concluiu.

Vinicius Palmeira, presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), explica que o evento nasceu da ideia de unir a nona Bienal do Livro de Alagoas com a edição mais recente do Natal dos Folguedos; os dois em um só espaço. “Ver as ruas do Jaraguá cheias de pessoas e cheias de cultura me enche de alegria. Quem ganha com isso é o povo e o bairro, que estará movimentado até o carnaval”, celebrou.

Para Elvira Barretto, diretora da Editora da Ufal (Edufal), a Batucada Literária mostra aos maceioenses e aos turistas uma Alagoas além mar. “Esse é um mar de cultura. O turista descobre nossa história e o maceioense se sente prestigiado e homenageado. É a Universidade, junto com a Prefeitura, cumprindo seu papel social”, defendeu.

Fonte: Secom

Comentários

MAIS NO TH