Cidades

10 de dezembro de 2019 09:37

Moradores programam duas manifestações para sexta-feira

Deputados federais vão vistoriar bairros que afundam

↑ No bairro do Pinheiro, buracos se abrem no asfalto das ruas e prédios têm estruturas rachadas (Foto: Adailson Calheiros)

Moradores dos bairros do Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto anunciaram mobilizações para a próxima sexta-feira (13). Dois protestos estão programados, um pela manhã na sede da Defesa Civil, no bairro do Pinheiro e o segundo à tarde, na porta da Justiça Federal, no bairro da Serraria. O objetivo, segundo as lideranças é cobrar ações efetivas para os bairros e pagamento de indenizações.

Os protestos “coincidem” com a visita de uma comissão de deputados federais à região afetada por afundamento de solo. A Comissão Externa, da Câmara dos Deputados deve realizar ainda uma audiência pública também na sexta-feira no bairro do Pinheiro.

De acordo com o representante da Federação das Associações de Moradores e Entidades Comunitária de Alagoas (Famecal), Antônio Sabino a intensificação das ações tem um objetivo: adiantar as indenizações.

“Estamos reunidos agora definindo agenda para as manifestações de sexta-feira. Com a chegada da comissão dos deputados federais, uma comissão que está vindo olhar casas, Gruta do Padre, Bebedouro, vai passar por várias comunidades. Então nós estamos numa frente, Famecal, associações de moradores, movimentos populares e sociais, mobilizando quem a gente pode mobilizar para realizar um protesto na defesa Civil, depois desse protesto, 14h ir na audiência pública que vai acontecer no Pinheiro. Basicamente, o dia 13 vai ser bastante movimentado”, avalia a liderança.

Os dois últimos protestos de moradores dos bairros ocorreram no fim de novembro e no início de dezembro, sem contudo, grande mobilização. Com a reduzida participação dos moradores nas últimas manifestações, o movimento quer incentivar a população a participar. Sabino afirma que a comunidade vai ser avisada com antecedência e ônibus serão disponibilizados para garantir a presença dos moradores nas ações.

“Nessa [ação] de sexta nós vamos começar a mobilizar na quinta com carro de som, panfleto, vamos fazer panfletagem nos bairros e disponibilizar ônibus para que os moradores participem. Não queremos que seja esvaziado dessas vez”, diz.

Segundo a programação da comissão, disponibilizada no site da Câmara Federal, entre as 8h e 11h da manhã da sexta-feira, quatro pontos devem ser vistoriados pela comitiva. A primeira vistoria deve ocorrer no Pinheiro, no imóvel conhecido como “casa rosa”, uma das residências mais afetadas pelas rachaduras. Já no Mutange, a visita deve ocorrer na encosta e no residencial Bosque Mundaú.

No Bom Parto, a vistoria está programada para acontecer na Travessa São Francisco, onde há registro de sal e rachaduras nos imóveis. Em Bebedouro, o prédio do Colégio Bom Conselho também será avaliado pela comissão. Ainda de acordo com a Câmara Federal, a audiência pública está marcada para as 14h em local ainda a ser definido.

A comissão já realizou uma sessão inaugural no mês passado onde reuniu representantes do Serviço Geológico do Brasil e o presidente da Braskem, Fernando Musa. Na audiência, o CPRM elencou detalhes obtidos por meio dos estudos realizados no início do ano em Maceió.

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH