Cidades

19 de outubro de 2019 10:06

Santuário do Peixe-Boi recebe barreira para conter manchas de óleo

Situada no Rio Tatuamunha, em Porto de Pedras, segunda maior atração turística da Costa dos Corais abriga quatro animais da espécie ameaçada de extinção

↑ Barreiras de contenção instaladas na quinta-feira pela base do ICMBio do Rio Tatuamunha, em Porto de Pedras, litoral alagoano (Foto: Claudio Bulgarelli)

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) instalou na tarde da última quinta-feira (18) uma barreira de contenção em torno do Santuário do Peixe-Boi, localizado no município de Porto de Pedras. No santuário estão confinados Açu, Pati, Netuno e Raimundo.

Os quatro animais são monitorados pela base avançada do ICMBio, que fica às margens do Rio Tatuamunha.

A barreira foi cedida pela Petrobras e cobre todo o território da espécie ameaçada de extinção, uma área de mais de 100 metros. O objetivo é o de impedir que as manchas de óleo que atingem o litoral nordestino entre no santuário, que fica no Rio Tatuamunha.

A instalação preventiva atesta a preocupação do instituto. Até sexta-feira (18), nenhuma mancha de petróleo cru foi encontrada nas proximidades do Santuário do Peixe-Boi. O local é a segunda maior atração turística da região da Costa dos Corais.

As manchas de óleo atingiram o Litoral Norte de Alagoas na última semana. Mas a ação das prefeituras municipais, de equipes de voluntários e órgãos ambientais foi rápida.

O mutirão foi realizado em três pontos diferentes das praias de Porto da Rua, nas proximidades da foz do Rio Tatuamunha; na praia de Porto de Pedras, também bem próxima do rio; e na praia do Boqueirão, em Japaratinga, que foi a mais afetada. A ação evitou que as manchas de óleo entrassem pela boca do Rio Tatuamunha.

A normalidade na região do santuário é tão grande que a Associação dos Observadores do Peixe-Boi, também localizada no povoado de Tatuamunha, realizou todos os passeios da sexta-feira, num total de 8, com ocupação plena e manteve os 20 passeios programados para este sábado (19) e domingo (10). O presidente da Associação, José Antônio, garantiu que os passeios vão continuar normalmente. “De 10h às duas da tarde estamos a postos para levar os turistas até o santuário, sem nenhuma mancha de óleo. As águas estão limpas e até os dois animais fora do recinto, as fêmeas Telinha e Joana estão por lá para garantir que tudo esteja tranquilo.”

Por outro lado, o coordenador do Centro de Pesquisas do Nordeste (Cepene), localizado em Tamandaré, Leonardo Messias, disse que maiores informações sobre a ação dos órgãos de fiscalização na região do peixe-boi, como a base do ICMBio de Porto de Pedras, somente com a Assessoria de Comunicação do Ministério do Meio Ambiente, em Brasília, que centralizou as informações. Até o momento do fechamento da matéria, a demanda da reportagem não tinha sido respondido pela assessoria.

Fonte: Tribuna Independente / Claudio Bulgarelli - Sucursal Litoral Norte

Comentários

MAIS NO TH