Cidades

15 de outubro de 2019 18:02

Relatório do IMA conclui que praias turísticas de Alagoas estão próprias para banho

Relatório de Balneabilidade apresenta condições normais em 63 pontos de praia onde são coletadas amostras para análise

↑ Relatório do IMA apresenta condições normais em 63 pontos de praia (Foto: Kaio Fragoso / Agência Alagoas)

As belas praias turísticas alagoanas, parada obrigatória das férias de milhares de brasileiros e estrangeiros, estão próprias para banho. O diagnóstico é do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA/AL), que divulgou o relatório de balneabilidade de todo o litoral alagoano.

Praias como Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca, principais da orla urbana de Maceió, permanecem em condições normais. O mesmo acontece com as praias do Gunga, Francês e Barra de São Miguel, no litoral Sul da região metropolitana de Maceió. Já na região Norte, as mais visitadas, como Antunes, Burgalhau e São Bento, em Maragogi, também estão aptas. Destinos como Japaratinga, São Miguel dos Milagres, Barra de Santo Antônio e Paripueira, também estão prontas para receber os turistas.

Do total de pontos analisados pelo IMA, apenas três foram considerados impróprios, mesmo com o registro das manchas de óleo em 15 pontos de 12 municípios. Segundo a equipe de Gerenciamento Costeiro do Instituto, isso se deve, principalmente, a dois motivos: a resposta imediata de limpeza das praias e, por se tratar de petróleo temperizado, condensado em fragmentos, o material não alterou a balneabilidade das praias.

A situação é diferente de casos como os dos Estados da Bahia e Sergipe, onde o óleo ainda apresenta características específicas e pode se dispersar na água e alterar as condições de balneabilidade.

“Alagoas é um dos estados menos afetados com a incidência de manchas de óleo nos litorais. De toda forma, estamos acompanhando de perto a situação. O Governo do Estado vem trabalhando de maneira ágil para resolução do problema por meio dos órgãos ambientais. Enquanto Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, seguimos monitorando e colaborando para resolução mais viável para que o turismo, uma das principais molas propulsoras da economia alagoana, não seja prejudicado”, pontou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Rafael Brito.

Fonte: Agência Alagoas / Texto: Thiago Tarelli com Ascom IMA

Comentários

MAIS NO TH