Cidades

13 de setembro de 2019 16:32

Projeto Alagoanidade homenageia escritores e celebra 10 anos da revista Graciliano Ramos

Promovido pelo Gabinete Civil, evento foi bastante concorrido e contou com a participação do artista Chau do Pife

↑ Edição Especial do Projeto Alagoanidade homenageou escritores e celebrou 10 anos da revista Graciliano Ramos, pertencente à Imprensa Oficial (Foto: André Palmeira / Agência Alagoas)

Em solenidade bastante concorrida na noite de quinta-feira (12) e com a participação do artista Chau do Pife, o Arquivo Público de Alagoas (APA) – vinculado ao Gabinete Civil – promoveu uma Edição Especial do Projeto Alagoanidade. A iniciativa tem o intuito de promover o sentimento de pertencimento dos alagoanos ao patrimônio imaterial, disseminando informações sobre personalidades, experiências exitosas desenvolvidas no folclore, nas danças, nas artes e na religiosidade.

Na ocasião, o evento celebrou também os 10 anos da Revista Graciliano Ramos, um produto da Imprensa Oficial, com lançamento de cinco novos livros selecionados pelo Edital Para Publicação de Obras Não Inéditas, além de mais cinco livros da Coleção Bicentenário, fruto de parceria entre a Imprensa Oficial e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).

O público foi brindado, ainda, com a palestra do escritor e professor de Literatura, Nilton Resende, que abordou o panorama da Produção Literária Contemporânea em Alagoas. Ele é autor do premiado livro O Orvalho e os Dias, que chegou a sua terceira edição, com 50 poesias.

A noite também homenageou o idealizador da Revista Graciliano Ramos, professor e sociólogo Sávio de Almeida. “O governo do Estado está de parabéns! Nunca tivemos uma produção literária e um incentivo tão intensos no cenário do acervo editorial em Alagoas, com apoio da Imprensa Oficial, da Fapeal e do Arquivo Público”, disse Almeida.

Ao representar o secretário do Gabinete Civil, Fábio Farias, o secretário de Integração Política e Social do Gabinete Civil, Daniel Alcoforado, destacou a importância do Projeto Alagoanidade para o fortalecimento da cultura no Estado.

“É um projeto que chegou para ficar em prol da cultura de Alagoas e fortalecer o sentimento de pertencer a este Estado tão rico no folclore, nas artes, na literatura”, disse o secretário.

foto

Chau do Pife realizou apresentação durante o evento (Foto: André Palmeira / Agência Alagoas)

O diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes, um dos grandes parceiros das produções do APA e da Imprensa Oficial, também ressaltou o trabalho que tem sido feito em prol da cultura alagoana.

“A Fapeal tem participado de forma muita intensa no incentivo à produção literária e científica em Alagoas. Já são 84 obras que receberam apoio do Governo do Estado”, destacou Guedes.

Alagoanidade registra sucesso de público

Durante o evento, os contemplados com as edições e reedições falaram sobre suas obras, como Doce de mamão macho, de Benedito Ramos; Dentro da casca, de Jeová Santana; Fantasmas não andam de montanha de russa, de Adalberto Souza; O orvalho e os dias, de Nilton Resende; e Manifesto Sururu: por uma antropofagia das coisas alagoanas, de Edson Bezerra.

“Esses lançamentos reforçam o papel fundamental que a Imprensa Oficial Graciliano Ramos exerce no cenário cultural de Alagoas. Além de promover o resgate de obras que se encontram fora de catálogo, estamos sempre descobrindo novos talentos, a partir dos editais que realizamos todos os anos”, afirmou Dagoberto Omena, diretor-presidente da gráfica e editora pública.

Para a superintendente do APA, Wilma Nóbrega, a Edição Especial do Projeto Alagoanidade superou todas as expectativas. “Foi emocionante ver a excelente presença de público e o entusiasmo das pessoas com esse projeto que valoriza as coisas de nossa terra, da arte à literatura”, disse Wilma Nóbrega.

Fonte: Agência Alagoas / Texto: Wellington Santos

Comentários

MAIS NO TH