Cidades

11 de setembro de 2019 15:00

25ª Vara de Maceió faz coleta de DNA em casa de idosa de 96 anos

Mulher estava acamada e não podia se deslocar para realizar a coleta na unidade

↑ Idosa não podia se deslocar até a unidade para fazer a coleta de DNA (Foto: Mauro Júnior / Dicom TJ-AL)

Servidores da 25ª Vara Cível de Maceió realizaram, no último dia 14, uma coleta de material genético para exame de DNA na residência de uma idosa com processo familiar de reconhecimento de paternidade.

A idosa de 96 anos estava acamada e não podia se deslocar para realizar a coleta. Ela seria a única parente viva da autora da ação, que busca incluir o nome do pai na certidão de nascimento.

Além das coletas, segundo o titular da unidade, juiz Sérgio Persiano, os servidores da 25ª Vara se deslocam para interrogatórios de interdição em processos de curatela e oitiva de testemunhas que não podem se locomover. O magistrado vê a ação como uma prestação melhor do serviço à população.

“O cidadão tem que entender que o Judiciário foi criado para solucionar as pendências, os litígios. Na prática, dá uma melhor qualidade de vida para as pessoas que necessitam desse serviço, que é muito importante para a sociedade”, explica.

Para a chefe de secretaria da unidade, Sandra Mara Costa de Oliveira, essas ações demonstram a proximidade do Judiciário com a sociedade. “Foi com muita satisfação que saímos da unidade para realizar essa atividade, pois ter o nome do pai no registro é mais do que uma anotação e sim um resgate da origem e da história do indivíduo”.

Fonte: Dicom TJ/AL / Texto: Thaynara Monteiro

Comentários

MAIS NO TH