Cidades

28 de maio de 2019 10:06

Aluguel social de R$ 250 gera revolta e protesto dos moradores do Mutange

Manifestantes realizam protesto em frente á Braskem e reclamam por receber R$ 250 enquanto moradores do Pinheiro recebem r$ 1.000

↑ Bairros afetados por atividade mineradora sofreram impactos (Foto: Sandro Lima)

A incerteza sobre suas futuras moradias levou moradores do Mutange a protestar em frente à Braskem na Avenida Delmiro Gouveia, impedindo a passagem de veículos na manhã desta terça-feira (28). A maioria mora em áreas consideradas de risco, que apresentam instabilidade do solo por conta, segundo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), da exploração de sal-gema pela petroquímica na região.

A principal reclamação dos manifestantes hoje está relacionada ao valor do aluguel social destinado a quem mora no Mutange, que seria de R$ 250, enquanto os moradores do Pinheiro recebem R$ 1.000. Eles também criticam a demora da apresentação do mapa de risco dos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro que, segundo a Prefeitura de Maceió, só será apresentado no próximo mês.

Dirigente do Sinteal mora em uma residência que fica localizada entre os bairros do Pinheiro e do Mutange (Foto: Sandro Lima)

“Somos humanos, precisamos ser respeitados pelos políticos e pela Braskem. Queremos que nos mostrem o mapa de risco e nos deem uma solução para os nossos problemas”, exigiu a dirigente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal), Ana Rosendo.

Ela mora em uma residência que fica localizada entre os bairros do Pinheiro e do Mutange e não aparece no mapa que mostra as áreas de risco. Por conta disso, não consegue se cadastrar em nenhum programa para receber benefícios e vive a incerteza sobre os riscos de continuar morando no local.

Os moradores querem uma nova reunião com representantes da Prefeitura de Maceió para reavaliar o valor do aluguel social direcionado aos moradores do Mutange. Eles se sentem injustiçados pela diferença do valor direcionada a eles.

Agentes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) estão no local para orientar os motoristas que passam pela região.

Trânsito ficou ainda mais lento do que o de costume na região (Foto: Sandro Lima)

Fonte: Thayanne Magalhães

Comentários

MAIS NO TH