Cidades

23 de maio de 2019 12:20

Sinteal vai a escolas e simula cálculo da aposentadoria

Em Alagoas, o trabalho está sendo feito pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal)

↑ Fotos: Assessoria

Com o Governo Federal investindo milhões em propaganda para convencer a população de que a reforma da previdência vai ser boa para o país, a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) está promovendo a semana de calcular a aposentadoria, uma ação nas escolas de todo o país para dialogar com trabalhadoras e trabalhadores da educação sobre os reais efeitos da aprovação deste projeto na vida de cada pessoa. Em Alagoas, o trabalho está sendo feito pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal).

Na tarde desta quarta-feira (23), dirigente sindicais estiveram na Escola Estadual Tarcísio de Jesus, com materiais informativos. “A dinâmica foi explicar os prejuízos da reforma, em seguida realizamos alguns cálculos com as pessoas que aceitaram simular. Alguns não lembravam o ano de ingresso no serviço público, e teve até quem dissesse que não estava preparado para saber a realidade. Mas muitos participaram e foi o suficiente para ilustrar a realidade”, disse Girlene Lázaro, dirigente do Sinteal e da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação.

Professores e funcionários tiveram suas aposentadorias calculadas pelo aplicativo disponibilizado gratuitamente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A CNTE está promovendo a “semana de calcular a aposentadoria”, uma campanha para esclarecer trabalhadoras de todo o país. Outras escolas serão visitadas pelo Sinteal nas próximas semanas, e se mais alguma unidade de ensino quiser receber o grupo, pode enviar um e-mail para [email protected] e solicitar o agendamento.

Todos podem acessar a calculadora no endereço: https://www.dieese.org.br/calculadoraReformaPrevidencia.html, e fazerem simulações. Por essa ferramenta é possível descobrir em quanto tempo você poderá se aposentar, além de obter uma estimativa de valor a receber e uma comparação com o regime de previdência atual.

Ao contrário do que diz o governo Bolsonaro, a Reforma da Previdência não irá acabar com privilégios e estabelecer justiça social nas aposentadorias. Ela reduz brutalmente direitos da maioria da população e mantém privilégios de militares, políticos e do alto escalão do funcionalismo público.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH