Cidades

25 de março de 2019 13:17

Moradores do Pinheiro fazem protesto e prometem acampar na porta da Braskem

Com cartazes e faixas, os moradores cobravam respeito, informações e ações efetivas

↑ Moradores do Pinheiro protestaram no fim da manhã de hoje (Fotos: Sandro Lima)

Dezenas de moradores do bairro do Pinheiro em Maceió, afetados desde fevereiro do ano passado por um tremor de terra, que resultou em fissuras e rachaduras em seus imóveis, pararam o trânsito na Avenida Fernandes Lima por volta das 12h30 desta segunda-feira (25). Eles protestaram cobrando informações reais do que esteja acontecendo com a região e prometem acampar na porta da Braskem, localizada na Avenida Assis Chateaubriand, no Pontal da Barra.

“Depois da reunião em Brasília na semana passada, o mapeamento das áreas de risco passou a ser tudo vermelho, queremos informações precisas e reais, não estão levando em conta nossa vida e história no bairro”, disse o morador José da Paz.

Há 38 anos, morando no bairro, Fátima Alécio, também se diz vítima do descaso. “Nós não podemos abandonar nossas casas, e outra, estão avaliando os imóveis com o mesmo preço. A Braskem precisa pagar pelo que fez, não somos burros e analfabetos, sabemos que a extração do mineral afetou ainda mais nossas casas”, desabafou.

“A classe média e alta do Pinheiro não tem condições de receber um valor do aluguel social de até R$ 1 mil, nossas casas valem muito mais, onde vamos encontrar?”, criticou. “A Braskem vai ter que indenizar os moradores do Pinheiro e responder pelo que fez. Os políticos nos ajudem, vem até o bairro e ver de perto o que está acontecendo. Aos moradores não abandonem seus imóveis, se tiverem de sair, saiam, mas venham todos os dias aqui no bairro”, emendou.

Os moradores iniciaram o protesto na Rua Manoel Menezes, uma das principais do bairro Pinheiro, mas seguiram em marcha com cartazes e apitos até a Fernandes Lima, uma fecharam a via no sentido Tabuleiro-Centro. “Vamos acampar na porta da Braskem em breve, na quinta-feira faremos um novo protesto, porque não é só explorar e ficar por isso mesmo, tem q ter responsabilidade”, avisou José da Paz.

Manoel Messias diz que perdeu 15 quilos de carne devido aos apagões no Pinheiro

Manoel Messias levou para o protesto cerca de 15 quilos de carne, que diz ter perdido diante dos apagões no bairro do Pinheiro. “Minha casa não fica na área vermelha, estou de férias, e tive que voltar as pressas por conta da evacuação, porque agora toda a região não tem mais cor, tudo é vermelho. Para a minha surpresa quando abri a porta veio o mal cheiro, quando verifiquei na geladeira, perdi toda a carne que tinha comprado recentemente. Quem vai pagar o prejuízo?”, indagou.

Os moradores também cobraram a intervenção do governo federal na situação que, segundo eles, se agrava a cada dia que passa. “Estamos temerosos, o inverno está chegando, e não temos informações concretas, nós queremos somente a verdade”, concluiu Fátima.

Em seguida, os manifestantes foram até a Avenida Fernandes Lima e paralisaram o trânsito na principal via de Maceió.

Manifestantes do bairro Pinheiro bloqueiam a Avenida Fernandes Lima (Foto: Andrezza Tavares/cortesia)

Fonte: Tribuna Hoje / Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH