Cidades

16 de fevereiro de 2019 12:21

Grupo orienta moradores sobre retirada de animais em simulado

↑ Animais começaram a ser abandonados nas ruas do bairro (Foto: Assessoria)

Com um grupo formado por seis médicos-veterinários e um zootecnista, o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Alagoas (CRMV/AL), passou a fazer parte do grupo de trabalho coordenado pelas Defesas Civis Estadual e Municipal, responsável pela ações de assistência aos moradores do bairro Pinheiro, em Maceió, que há um ano vem sendo gravemente afetado por tremores de terra e rachaduras em ruas e imóveis, sem que se tenha descoberto, até agora, as causas dessa situação.

A primeira iniciativa da equipe – que reúne integrantes das comissões regionais de Ética, Bioética e Bem-Estar Animal (CEBEA), de Saúde Pública Veterinária (CRSPV) e de Animais Silvestres e Meio Ambiente (CRASMA) – ocorrerá neste sábado (16), com a participação no simulado de evacuação do bairro, que tem como objetivo preparar os cerca de 3 mil moradores para uma saída rápida, caso venha a ocorrer um eventual incidente provocado pelo fenômeno geológico na região. O problema no bairro já foi reconhecido pelo Governo Federal como Situação de Emergência.

“Nosso objetivo é, principalmente, contemplar estratégias que também atendam às necessidades de saúde pública e meio ambiente decorrentes de situações de desastres, que costumam comprometer bastante essas duas áreas. Mesmo sendo apenas uma possibilidade – que esperamos não ocorrer – precisamos estar preparados para atuar de forma eficaz caso isso se torne uma realidade, resguardando a integridade dos animais, do meio ambiente e da população em geral”, afirmou a Dra. Carla Loureiro Lima.

Durante o simulado de evacuação que será realizado no bairro Pinheiro, a equipe do CRMV/AL ficará em um dos pontos de encontro definidos pelo Plano de Contingência. Vestidos com coletes de identificação, os integrantes das comissões do Conselho irão orientar os moradores quanto à retirada dos seus animais – de pequeno e grande porte, além dos silvestres – evitando assim que eles sejam deixados para trás no momento em que seja necessário fazer uma evacuação do bairro.

“Estamos trabalhando na elaboração de um Plano de Contingência voltado às questões de saúde animal, saúde pública e meio ambiente, para que este seja integrado ao Plano de Contingência geral. E para consolidar as ações, já começamos a firmar parcerias com a Universidade Federal de Alagoas e com o Centro Universitário Cesmac, além de clínicas e ONGs de proteção animal, criando uma rede de assistência para atuar caso seja necessário”, ressaltou a médica-veterinária.

Participam do simulado de evacuação os médicos-veterinários Carla Loureiro Lima (CEBEA); Paulo Wianês Duarte, Rael Lucas Almeida, Karla Danielle Soares e Victor Carnaúba Lima (CRSPV); Isaac Manoel Albuquerque (CRASMA); e o zootecnista Isaac Ferreira de Lima (CEBEA).

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH