Cidades

10 de janeiro de 2019 17:57

Valor da passagem de ônibus é alvo de protestos em Maceió

Movimentos exigem redução e empresas querem aumentar, SMTT diz que ainda não há data prevista para discussão

↑ Terminal do Benedito Bentes (Foto: Sintetfal)

Está marcada para as 8h desta sexta-feira (11), um ato público pela redução das passagens de ônibus em Maceió, na porta da SMTT. A convocação é do Comitê em Defesa do Transporte Público de Qualidade, que reivindica a redução do valor para R$3,15. Atualmente a passagem está custando R$3,65, mas as empresas estão discutindo aumento.

O comitê é composto por mais de 30 instituições está se organizando há alguns dias em torno do tema. No dia 3 de janeiro, eles protocolaram ofício na SMTT solicitando a redução do valor da passagem.

Entre os argumentos, eles falam sobre a realidade econômica da maior parte da população “Em Maceió, segundo o IBGE, aproximadamente 40% da população vive com até metade de um salário mínimo”. Também falam sobre o reajuste que entrou em vigência há menos de um ano, e comparam com outras cidades do país “Macaé, no Rio de Janeiro, que possui a taxa de apenas 1 real para os ônibus, o atual valor da tarifa em Maceió já é altamente abusivo”.

Por fim, o documento descreve o serviço oferecido como “de péssima qualidade”.  “Quem necessita do transporte coletivo sofre com longas esperas nos pontos e terminais, com ônibus sujos e superlotados”, diz o texto.

No dia 17 de dezembro, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Sinturb) protocolou na Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito o pedido do aumento de 13,7% da tarifa de ônibus, passando, dos atuais R$ 3,65 para R$ 4,15.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais da Educação Básica e Profissional no Estado de Alagoas (Sintetfal) está presente no comitê. “Os estudantes do Ifal são os/as filhos/as da classe trabalhadora que pagam para utilizarem um serviço de baixa qualidade, com ônibus sucateados e que em sua grande maioria, estão sempre lotados e demoram horas para passar nos pontos. Estamos no enfrentamento para conquistar um transporte público de qualidade”, disse a dirigente Marília Souto.

O comitê também lançou uma petição online para pressionar a SMTT. Eles reivindicam, além da diminuição no valor das tarifas, a planilha financeira das empresas de transporte. “É preciso tornar pública a informação da margem de lucro de cada uma das empresas que prestam esse serviço à população”. Até as 18h desta quinta-feira (10), o contador já estava em 1329 assinaturas.

Por meio de nota, a SMTT informa que não há data prevista para a reunião com o Conselho Municipal de Transportes Coletivos para discutir a proposta de reajuste do valor da tarifa de ônibus. A nota destaca ainda, que o órgão está aberto ao diálogo e que buscará uma negociação priorizando, sobretudo, o interesse do cidadão e usuário de ônibus de Maceió.

 

Fonte: Tribuna Hoje / Emanuelle Vanderlei

Comentários

MAIS NO TH